EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

18 de Outubro de 2019

Quenianos dominam o 34º 10 KM Tribuna FM-Unilus

Nas categorias de elite feminino e masculino tiveram dois atletas africanos como vencedores na edição 2019 da mais tradicional prova de corrida de rua em Santos

O Quênia garantiu mais uma “dobradinha” no 34º 10 KM Tribuna FM-Unilus, neste domingo (19), em Santos. No masculino, Nicolas Kiptoo Kosgei cruzou a linha de chegada em 28 minutos e 41 segundos, com 11 segundos de vantagem sobre o brasileiro Giovani dos Santos. Entre as mulheres, Esther Chesang Kakuri, que já havia sido vice em 2016, foi a mais rápida, com 33 minutos e 27 segundos, chegando à frente da brasileira Tatiele Roberta de Carvalho, vencedora em 2017.

Pelas vitórias, os dois campeões garantiram R$ 24 mil cada um, de um total de R$ 90,4 mil aos dez melhores do masculino e do feminino. Esta foi a quinta vitória dupla do Quênia – a última tinha acontecido em 2015 – e agora os atletas quenianos somam 21 primeiros lugares, 11 entre as mulheres.

A segunda maior corrida de rua do País reuniu 20 mil inscritos pelas ruas da Cidade, numa manhã de sol e muita festa, sobretudo com os atletas amadores, muitos participando em pelotões, os famosos grupos uniformizados de empresas, associações e academias.

Na disputa feminina, Esther, Tatiele e Jenifer do Nascimento Silva, terceira na prova, correram forte desde o início, mas já no km 4 a queniana começou a forçar o ritmo, ficando apenas com a campeã de 2017 na ponta, para sair sozinha na liderança a partir do km 5,5. “Fiquei extremamente feliz com o resultado. Agora eu já conhecia a prova e vim para vencer. Não tinha outra meta. Percebi que estava administrando bem a minha corrida a partir do km 4, foi quando me senti segura para conquistar a prova. Foi uma vitória muito especial pela festa que a Cidade faz”, falou a nova campeã.

Tatiele sentiu o calor e a humidade na prova e tentou brigar pela vitória, sem deixar a queniana escapar muito. “Mas estou feliz, porque 2018 foi um ano ruim. Tive lesão. Então sou muito grata a Deus por ser a primeira brasileira na minha casa, que é essa prova, mas vou continuar treinando, me dedicando, porque quero ganhar muitas vezes aqui”, falou a corredora, que mora em Limeira e foi finalista olímpica nos Jogos Rio 2016 nos 10 mil metros.

Já a terceira colocada, Jenifer Silva, ficou surpresa com o terceiro lugar em Santos. “Estou vindo de um período de lesão, então eu me surpreendi com o resultado. O percurso é muito bom, a prova é excelente, com nível técnico muito alto, bem difícil e fiquei muito feliz”, falou a atleta da capital paulista.

Na prova masculina, Nicolas Kosgei correu sozinho na frente nos últimos quatro quilômetros. Giovani ainda tentou fazer frente, mas o queniano apertou o ritmo e ainda teve tempo para contemplar o belo cenário da prova, sobretudo na reta final, na orla da praia.

“Essa foi a minha primeira vez correndo aqui. Achei a corrida excelente, de alto nível, plana, muito boa para correr”, falou o também vencedor da Volta da Pampulha 2018. “Gostei da paisagem da cidade, de ver a praia. Muito bonita e também foi muito bom ver a torcida toda nas ruas”, destacou. “Gostaria de dar os parabéns para os atletas brasileiros, que são muito bons”, ressaltou Nicolas.

Para Giovani dos Santos, que já havia sido o melhor brasileiro em 2018, com o terceiro lugar, o resultado deste ano foi bom em função de seus treinos para a maratona, onde tentará o índice para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. “Foi difícil, como em todos os anos, mas graças a Deus estou me preparando bem, mas não estava tão rápido porque vou fazer a Maratona do Rio em junho”, contou.

“Procuro sempre estar na frente com os quenianos. É assim que você crescer. Não adianta pensar em ser o melhor brasileiro. Tem de brigar de igual para igual”, afirmou o vice-campeão, que ainda sonha vencer em Santos. “Estou chegando perto. Ficando mais velho, mas Deus está me dando forças e vamos trabalhar, porque os quenianos vêm forte, mas a gente também está”, brincou.

O terceiro colocado, Johnatas de Oliveira Cruz, vibrou com seu melhor resultado na prova. “Adorei. No ano passado eu fui o novo colocado, então a projeção foi muito alta foi muito alta. Graças a Deus consegui um terceiro lugar nessa prova tão forte e estou muito satisfeito”, festejou o atleta, que ainda trabalha como coletor de lixo nas ruas de São Paulo.

Os atletas da Baixada Santista melhores colocados ficaram nas 24ª e 25ª posições coincidentemente. No masculino foram os santistas Maurício Santana Evangelista, em 24º lugar, com 31min48s, e Rodrigo Santejo, em 25º, com 31min55s no masculino.

Já entre as mulheres, Elizabeth Ribeiro Dantas de Mendonça, de Guarujá, foi a 24ª colocada, com 41min53s, seguida da experiente Sirlene Souza de Pinho, de Santos, que já foi a terceira colocada duas vezes no geral, e terminou em 42min29s. Na disputa dos cadeirantes, os dois campeões chegaram juntos. Vanessa Cristina de Souza garantiu o tricampeonato, com 23min58s, estabelecendo novo recorde, e Heitor Mariano dos Santos comemorou o tetra, com 24min00s.

Novidades

Em seu 34º ano consecutivo, a corrida apresentou inovações. Uma delas evidenciando a sustentabilidade, com a instalação de contentores após os postos de hidratação para que os atletas jogassem os copinhos de água. Todas as 140 mil embalagens utilizadas pelos atletas foram recolhidas pela ONG Sem Fronteiras, para reciclagem. Ao final da prova, outra novidade, os participantes receberam as medalhas no peito, como forma de homenageá-los.

Na questão social, mais uma vez foi realizado o Pelotão da Igualdade, colaborando para que deficientes completem a prova, muitos deles conduzidos em triciclos especiais. Entre os participantes estava o craque do Santos e do Barcelona, Giovanni, com seu filho Gennaro, que tem paralisia cerebral.

O diretor-presidente de A Tribuna, Marcos Clemente Santini, que também corre a prova, comemorou mais um sucesso e evidenciou a participação popular. “Esse ano foi uma festa muito bonita da Cidade, a população saiu para as ruas, para incentivar os atletas e isso é a grande diferença da prova e, graças a Deus, São Pedro nos ajudou mais um ano. A semana inteira de muita chuva, mas hoje abriu um dia lindo, que engrandeceu mais a prova. A população santista está de parabéns, porque incentivou muito”, agradeceu Santini.

Ainda na participação popular, outra tradição do evento, os pelotões uniformizados. Um dos mais antigos no evento é o da Memorial, conhecida por patrocinar muitos atletas, e que veio com os campeões de boxe Acelino Popó Freitas, Miguel de Oliveira e Rose Volante.

Nesse ano, a Cesari voltou a ter a maior participação com 692 inscritos, ganhando o troféu de maior equipe institucional, seguido da Rede Litoral de Supermercados com 561, Santos Brasil, com 458, DP World Santos, com 380 e a UP! Fitness Academia, com 379 e também ganhou o prêmio de maior grupo esportivo.

A 35ª edição dos 10 KM Tribuna FM-Unilus já está confirmada para o dia 16 de maio de 2020. Os resultados deste ano serão publicados no site www.trieventos.com.br.

Veja os cinco primeiros colocados das principais categorias abaixo:

Elite A masculino:

1. Nicolas Kiptoo - 28min41s
2. Giovani dos Santos - 28min52s
3. Johnatas de Oliveira Cruz - 29min07s
4. Gilmar Silvestre Lopes - 29min20s
5. Wendel Jeronimo Souza - 29min27s

Elite A feminino:

1. Esther Chesang Kakuri - 33m27s
2. Tatiele Roberta de Carvalho - 33min57s
3. Jenifer do Nascimento Silva - 34min58s
4. Josiane da Silva Cardoso - 35min09s
​5. Tatiana de Souza Araujo - 35min15s

Cadeirantes

1. Vanessa Cristina de Souza (F) - 23min58s
2. Heitor Mariano dos Santos (M) - 24min00s
3. Rogério Costa (M) - 26min04s
4. Marcos Eduardo Perez de Jesus (M) - 30min27s
5. Josiane Nowacki (F) - 32min31s

Tudo sobre: