EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

25 de Abril de 2019

Pelotão da Igualdade dá espaço à acessibilidade no 34º 10 KM Tribuna FM-Unilus

Grupo de voluntários colaboram com deficientes, seja na condução de triciclos próprios para corridas ou no apoio a pessoas deficientes que necessitam de guia

Se cruzar a linha de chegada é sempre uma satisfação para qualquer corredor, o que dirá para alguém que comemora essa conquista, proporcionando uma experiência para uma pessoa com deficiência? O “Pelotão da Igualdade” garantirá novamente acessibilidade no 34º 10 KM Tribuna FM-Unilus. Na iniciativa, um grupo de voluntários colaboram com deficientes, seja na condução de triciclos próprios para corridas ou no apoio a pessoas deficientes que necessitam de guia.

A prova é a única do Brasil que conta essa ação, que é de caráter participativo e está inserida no regulamento, inclusive. A expectativa é que o Pelotão tenha cerca de 250 participantes entre pessoas conduzidas, corredores e os atletas que doam sua corrida pela causa, inclusive cercado o grupo, como forma de evitar qualquer incidente.

Além da emoção de completarem a prova em si, os integrantes do Pelotão da Igualdade prestarão uma homenagem a Davidson Iuspa, que foi diretor do evento por 12 anos e faleceu recentemente, vítima de câncer no pâncreas. “Foi uma grande perda. Foi ele quem criou o Pelotão, o cara que entendeu a necessidade de facilitar e dar destaque à causa. Vamos fazer essa homenagem a essa pessoa incrível que a gente conheceu”, destaca o responsável pelo grupo, Stefan Klaus, do Projeto Empresto Minhas Pernas.

Neste ano, a novidade é que a equipe estará na mesma largada dos deficientes físicos, visuais e cadeirantes. A mudança visa uma melhor mobilidade durante o percurso e mesmo na chegada. Os participantes correm juntos todo o percurso, sempre pela lateral das vias, como forma de segurança, tanto do grupo quanto dos corredores que participam em busca de marcas, garantindo uma grande festa pela igualdade das pessoas.

“Vamos largar atrás deficientes que vão competir, porque não podemos atrapalhar a prova deles e vamos incentivando para que consigam seu melhor resultado. Vai ser muito legal, porque o nosso trabalho é todo com pessoas com deficiência o ano inteiro e ver aqueles que têm talento para o esporte junto conosco é uma grande satisfação”, ressalta.

Para Stefan, o objetivo é fazer uma prova perfeita, que todos consigam curtir e sem atrapalhar o corredor que vai buscar resultados. “A interação tem de ser perfeita. No ano passado, tivemos um pedação de pista livre, que é incrível. Alguns momentos foram marcantes, quando estacionamos na Avenida Ana Costa e vimos a elite passar por nós. Os atletas viram a galera do Pelotão incentivando e também aplaudiram a iniciativa. Foi incrível”, conta.

Ele também lembra das paradas nos palcos musicais e de um personagem mais do que especial, o ídolo do Santos FC, Giovanni, correndo com seu filho Gennaro, que tem paralisia cerebral. “E teve a chegada. Muitos dos deficientes que têm pouca mobilidade saíram dos triciclos e chegaram andando. Foi muita emoção. O filho do Giovanni treinou o ano inteiro para chegar de pé e esse ano vai estar lá de novo”, fala.

 A expectativa é que o Pelotão tenha cerca de 250 participantes (Foto: Divulgação/FMA)

Os deficientes e voluntários que querem participar do Pelotão da Igualdade devem se inscrever diretamente pelo instagram.com/emprestominhaspernas, facebook.com/emprestominhaspernas, pelo telefone de Stefan Klaus (13) 98181.7955 ou diretamente com a equipe nos treinos, aos sábados, das 9 às 12h, no Emissário Submarino, em Santos.

“Todo corredor que quer doar sua corrida para a causa tem de estar inscrito na prova. Não existe desconto especial”, avisa Stefan. “Teremos um limite de 200 voluntários e 20 triciclos”, avisa o responsável pelo grupo, informando que quem quiser ser voluntários para conduzir o triciclo, precisa passar por um teste de condução. “Primeiro, conhece qual a sensação, os riscos, o que precisa atenção, como faz a hidratação e aprende a condução”, conta.

Essa é a quarta vez que o grupo participa dos 10 KM Tribuna FM-Unilus. Em 2017, a largada foi depois dos amadores e no ano passado foi decidido a antecipação para depois da elite feminina. “A experiência foi incrível e sempre crescente. Teremos deficientes auditivos e visuais empurrando os triciclos, pessoas com síndrome de down, autistas, deficiências intelectuais, para que todos saiam do sedentarismo”, completa.

Inscrições

Para quem também vai correr ou caminhar no 34º 10 KM Tribuna FM-Unilus, as inscrições seguem abertas exclusivamente pelo site e taxa é de R$ 105,00. Mais informações sobre a prova pelo telefone (13) 2102.7267/68, de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 18h, pelo e-mail trieventos@grupo-tribuna.com.