Especialistas afirmam que uso consciente da água potável é 'dever de todos'

Com produto cada vez mais escasso e consumo em alta, desafio é mudar a mentalidade da população

Por: Thiago D'Almeida  -  13/08/21  -  08:40
 Especialistas explicam importância do consumo consciente da água potável
Especialistas explicam importância do consumo consciente da água potável   Foto: Reprodução/Unsplash

Parece contraditório, mas mesmo com mais de 70% da superfície da Terra coberta por água, há escassez do líquido mais precioso do nosso planeta. Isso porque só 3% desse total é de água doce, considerada própria para consumo. E se engana quem pensa que o problema global não impacta nossa rotina. Ainda mais na Baixada Santista, onde a Sabesp aponta alta de 3,7% na média de consumo diário de água no primeiro quadrimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2020.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Essas e outras estatísticas preocupam especialistas em recursos naturais e levantam uma importante discussão sobre a utilização consciente da água em nosso dia a dia. Uma parcela da população pode até tentar ignorar, mas atitudes consideradas simples representam um importante passo rumo à preservação deste bem tão precioso. Quem destaca a necessidade de debate sobre o assunto é a superintendente da unidade de negócios da Sabesp na Baixada Santista, Olivia Pompeu.


“É dever de todos garantir o uso sustentável da água para a atual e as futuras gerações. Na gestão de recursos hídricos, temos a participação da sociedade, que ocorre por meio da conscientização da população no uso racional da água. Sabemos que o crescimento da população é um fator que pressiona o sistema de recursos hídricos. Logo, a gente precisa falar de educação ambiental. A água deve ser preservada e consumida de forma consciente por todos”.


O alerta para a conscientização também vem do ambiente acadêmico. Segundo a professora do curso de Geografia da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Maria Glória da Silva Castro, o consumo mundial da água doce vem aumentando nas últimas décadas e criando "situações de escassez decorrentes da degradação generalizada dos mananciais e contaminação por efluentes domésticos, agrícolas ou industriais, entre outros fatores de impacto negativo”.


Para Maria Glória, "a água tão fundamental para a vida no planeta que deveria ser apreendida como um patrimônio coletivo da humanidade, buscando a sua conservação e preservação, considerando as necessidades das gerações presentes e futuras".


Como economizar


De acordo com a superintendente da Sabesp, em uma residência há inúmeras oportunidades para aplicar o conceito do consumo consciente. “No banheiro, deve haver cuidado com a descarga, para não apertá-la por mais tempo que o necessário. Em seis segundos, gasta-se até 14 litros de água. Além disso, usar vassoura para varrer a calçada, e não uma mangueira, evita o desperdício de quase 280 litros a cada 15 minutos. Isso também é de grande relevância”.


Já a professora universitária lembra que a água que chega para consumo da população passa por estações de tratamento, visando a garantia de sua potabilidade, e deve ser utilizada prioritariamente para a alimentação e a higienização. Se esse conceito for levado adiante, parte do material destinado à lavagem de roupas, por exemplo, pode ter um uso secundário, como a limpeza de pisos externos de uma residência, gerando economia.


Maria Glória explica que a conta de água pode ser uma ferramenta de estímulo à economia em casa, com o cálculo do volume diário consumido por habitante. "Na análise da conta, é possível perceber se há gastos excessivos, considerando que o recomendado por morador é um consumo diário de 110 litros de água”. Essa projeção é respeitada pela Organização das Nações Unidas (ONU).


Na região, as faturas da Sabesp vêm com o consumo de água em metros cúbicos. Para fazer as contas, o princípio básico é que um metro cúbico equivale a mil litros. Assim, em uma casa com dois moradores, seria "aceitável" a utilização de 6,6 mil litros de água potável (ou 6,6 metros cúbicos) em 30 dias. Se os números estiverem bem acima, hora de colocar em prática um ou mais medidas listadas ao lado. A natureza, seu bolso e até as próximas gerações terão motivos para agradecer.


DICAS


Banheiro


  • Feche a torneira enquanto escova os dentes

  • Não tome banhos demorados. Cinco minutos são suficientes

  • Não acione a descarga à toa, ela desperdiça muita água

  • Nunca use o vaso sanitário como lixeira

Jardim, quintal e calçada


  • Sempre lave o seu carro com balde e um pano

  • Nunca use a mangueira para retirar o lixo da calçada. Varra antes e, se necessário, jogue água com um balde

  • Regue as plantas pela manhã ou à noite

  • Não regue as plantas com mangueira. Use um regador

Cozinha


  • Feche a torneira enquanto ensaboa a louça

  • Antes de lavar os pratos e panelas, limpe bem os restos de comida e jogue no lixo

  • Só ligue a máquina de lavar louça quando ela já estiver cheia

Lavanderia


  • Mantenha a torneira fechada enquanto você ensaboa e esfrega a roupa

  • Deixa a roupa acumular para lavá-la de uma só vez

Logo A Tribuna