EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

5 de Agosto de 2020

Tribuna do Leitor - 26 de julho de 2020

Participaram desta edição os leitores João Carvalho, Pedro Neto, Edilson Brito e Guilherme Guarche

Desculpa não basta

Esta semana, Santos foi notícia nacional com o episódio do desembargador, que além de dar carteirada para ficar livre da multa por não usar máscara na praia, ofendeu e humilhou o guarda municipal. A julgar pela carga ofensiva, pelas palavras e também pelo fato de ser reincidente, conclui-se que essa deve ser mesmo a postura do magistrado no seu cotidiano. Quantas pessoas ele já deve ter destratado, humilhado, ofendido e reduzido intelectualmente, do alto de sua empáfia e arrogância? Portanto, pedir desculpas ao guarda não basta. É pouco diante de uma nação inteira. Deve ter pedido desculpas apenas para atenuar as críticas e reduzir a penalidade. Mas que a punição seja exemplar e bem divulgada. Não se pode mais admitir esse tipo de conduta na sociedade em que vivemos. Ainda mais de “pessoa letrada”!

João Carlos Viana de Carvalho - Guarujá

Revisão de projeto

Duas deficiências permanecem no sistema VLT, uma de projeto e outra legal. São a ausência de banheiros para os funcionários e a contravenção em não aceitar moeda corrente do país, de acordo com a Lei De Contravenções Penais 3.688/41, art. 43. Espero que o pessoal da administração não passe vergonha falando sobre convênios com comércio local para uso de banheiros. Prezem a vossa imagem! Com a construção do novo ramal, dá tempo de rever essa parte do projeto. Convoco a deputada Rosana Valle e o deputado Junior Bozzella para uma cobrança efetiva dessas duas mazelas por parte das pessoas envolvidas nessa obra. 

Pedro dos Santos Neto - Santos 

Operação Organizações Sociais

A Operação Mãos Limpas, na Itália, começou em um asilo para idosos na cidade de Milão e escancarou o mafioso sistema político italiano. A Operação Lava Jato teve seu início num posto de gasolina em Brasília e desnudou a corrupção existente no sistema político empresarial brasileiro. Ambas as operações assumiram dimensão não imaginada pelos seus autores iniciais. Hoje, se faz necessária uma "Operação Organizações Sociais", pois já faz algum tempo que algumas destas organizações frequentam mais o noticiário policial que o social. Neste tempo de pandemia, o descalabro e a malversação do dinheiro público ficaram escancarados. O desmonte do SUS, a fuga da lei de responsabilidade fiscal, o financiamento de campanhas políticas, o enriquecimento ilícito e o aviltamento do mercado de trabalho dos profissionais de Saúde são apenas alguns dos muitos problemas que aparecerão com uma investigação sobre as atividades e financiamento dessas entidades. Ao final, veremos que restará mais joio que trigo.

Edilson Mendonça de Brito - Santos

Lembranças de uma luta

O Santos organizou uma noitada de boxe em maio de 1950, para angariar recursos para obras no estádio Urbano Caldeira, com intenção de substituir as arcaicas arquibancadas de madeira por outras de concreto armado. A grande atração foi Joe Louis, que enfrentou Tommy Giorgio. O boxeador americano era considerado o primeiro herói negro da América, e o maior pugilista de todos os tempos, detentor do recorde de tempo de defesa do cinturão. Essa luta aconteceu no centro do gramado do campo santista. Na luta preliminar, a presença do santista Lúcio Grotone, “El Tigre”, que participou das Olímpiadas de Helsinki. O ex-pugilista Lúcio Grotone faleceu em Santos, aos 88 anos, em 2017. Na luta principal, o “Bombardeio Marron” praticamente não deu nenhuma chance ao adversário ítalo-americano, que apenas serviu de sparring. E com um direto no queixo, o desafiante foi à lona ainda no primeiro round. A maior parte dos presentes não aprovou o resultado. Eles queriam mais luta e vaiaram o término da disputa. Os santistas queriam que a cidade guardasse na memória um dia inesquecível. Na verdade, foi uma barbada para a lenda do boxe. Foi a derrota de uma autêntica “galinha morta”. Joe Louis teve sua carreira encerrada depois de ser nocauteado por Rocky Marciano, em 1951.

Guilherme Gomez Guarche - Santos

 

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.