EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

27 de Maio de 2020

Tribuna do Leitor - 23 de maio de 2020

Na edição deste sábado (23), participações de Marcelo de Mattos, Antonio Carlos Banha Joaquim e Luiz Fernando Pettinati Homem de Bittencourt

Excelente educadora

Conheci a professora Mariângela Duarte no final da década de 1970 na EE. “Suêtonio Bitencourt”, época de unidades de ensino de excelência, nas quais os alunos disputavam suas aulas lúdicas como fossem jogos de recreio. Depois, como aluno ouvinte, acompanhei suas aulas na então Faculdade de Letras de Santos, que terminavam, invariavelmente, no calçamento (antes que os portões fossem fechados), cercada por uma roda de estudantes, dando continuidade às suas eloquentes análises literárias, num arrebatamento, misto de sonho e catarse argumentativa. Defensora da educação pública, foi eleita vereadora em Santos, depois deputada Estadual e Federal, sendo autora de Projetos de Lei, criando a Universidade Estadual da Baixada Santista e Litoral e a Universidade Federal da Baixada Santista e Litoral. Mestra querida: “Tudo que já foi, é o começo do que vai vir, toda a hora a gente está num cômpito” (Guimarães Rosa).
Marcelo de Mattos - Santos

Perda inestimável

É com profundo pesar que recebo a notícia do passamento da icônica Mariângela Duarte. Mulher de pulso forte, que muito nos honrou como filha da Cidade. Tenho a honra de ter, como parlamentar, participado de muitas ações juntamente com Mariângela. Sem dúvida nenhuma, é momento de profundo luto para mim e para toda a nossa região. Que nosso Senhor a receba com todas as homenagens que ela merece, assim como conforte sua família por esta inestimável perda. Muito triste! Mariângela Duarte foi uma grande amiga e parceira de várias ações em defesa de Santos e região!
Antonio Carlos Banha Joaquim - Santos

Maior desafio

O Brasil passa por uma situação extremamente delicada, talvez, como poucas vezes em sua história. Estamos vivendo em uma nação dividida, que precisa ser unificada urgentemente, ainda mais em tempos de pandemia, que não só tira empregos e renda, mas ceifa milhares de vidas semanalmente. Há necessidade urgente de quem se encontra na presidência da República de se ater tão apenas a ciência e conversar de forma amigável com governadores e prefeitos, buscando entendimento para que possamos equacionar a questão da pandemia da forma mais veloz possível. A realização de disputas políticas nesse momento terrível para a nação é contribuir para o óbito de milhares de vidas, além de ver nosso PIB ter uma das maiores quedas de sua história, senão a maior de todos os tempos. Temos que ter ações coordenadas e integradas entre todas as esferas de poder, além do apoio de ONGs, da iniciativa privada e da sociedade civil como um todo, numa corrente de solidariedade, para auxiliar os mais vulneráveis, economicamente e sanitariamente. Também precisamos de investimentos significativos em pesquisa e tecnologia. É necessário disponibilizar todos os meios vigentes para produção de produtos sanitários, EPI’s, hospitais de campanha e respiradores feitos no Brasil e testes para detecção do vírus. Um esforço nacional de guerra para que possamos resolver o maior desafio de nossa geração!
Luiz Fernando Pettinati Homem de Bittencourt - Santos

Missa de 7º dia

No sobe e desce de ladeiras e vielas, esbarrando nas beiras dos lixos, os pés de chinelos dos meninos soltos nas ruas, sem nada no estômago, desamparados. A morte tarda, a vida falha, o contrapasso no samba sincopado é só um batuque surdo. A morte tem CNPJ mesmo, me diga, seu doutor? Salário mínimo pega ônibus, barca, trem suburbano lotado? Marmita com ovo frito, torresmo, tem? Se pendura nas favelas, farinha, vela para alumiar seu santo, vaga na enfermaria, tem? CNPJ com vala cova rasa, caixão de lata, flor de flandres, cemitério e cruzeiro, alguém por ele ora, zela, antes da hora final, quem há? Acima do CNPJ, seu doutor, diga, está mesmo Deus ou o Brasil em arame farpado, genuflexado. Tem obituário lavrado, corbélia de rosas dália gérbera, patuá, missa de corpo presente e alma ausente? Nada aos miseráveis desta terra, seu doutor, tudo é exclusivo ao CNPJ. Seja louvado, amém!
Marcelo de Mattos - Santos

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.