EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

10 de Agosto de 2020

Tribuna do Leitor - 19 de junho de 2020

Nesta edição, participação de Marcelo de Mattos, Lucas Duarte, Nívio Barbosa, Caleb Soares e Solange Ruas

Liberdade de Imprensa

A liberdade de Imprensa é um patrimônio imaterial, o mais eloquente atestado de evolução político-cultural de um povo. O mais recente ataque a esta liberdade, provocado pelo ministro da Justiça, André Mendonça, para abertura de investigação do jornalista Ricardo Noblat e do cartunista Renato Aroeira, nos faz retroceder aos anos ditatoriais de perseguição e censura aos profissionais e meios de comunicação. Em recente manifestação, o excelso decano do STF, ministro Celso de Mello, manifesta que “a liberdade de imprensa não pode ser restringida pelo Estado; não há sociedades livres sem essa garantia, em razão do interesse público”. E vai além: ressalta que o exercício dessa liberdade assegura ao jornalista o direito à crítica a qualquer pessoa, especialmente contra as autoridades e agentes públicos.

Marcelo de Mattos - Santos

Outros problemas

Em meio ao caos que se instaurou por causa da Covid-19, a prefeitura de Cubatão parece ter esquecido de outros problemas que assolam a cidade. No bairro Jardim Casqueiro, o lixo toma conta das ruas e das praças. Inúmeras garrafas quebradas e fezes de animais fazem companhia fiel às crianças que tentam brincar na Praça Independência e nas ruas adjacentes. Na Américas, onde moro, sou obrigado a carpir o mato do meio fio ou não consigo entrar em casa, tamanha a exuberância da floresta. Situação que se repete em todo o bairro, cujas ruas são inexoravelmente esburacadas e fétidas. Nenhuma campanha de conscientização e nenhuma cobrança por parte do alcaide ao seu secretariado. Aliás, se fosse extinta a Secretaria responsável pela manutenção, ao menos se justificaria tamanha inércia da Prefeitura.

Lucas Augusto Menezes Duarte - Cubatão

Repúdios repetitivos

Na história recente da política do Brasil, os veículos de comunicação registravam diariamente escândalos de corrupção. Existia um padrão bem específico de respostas dos acusados, que diziam aos jornalistas que os gastos de campanha eram todos aprovados pela Justiça Eleitoral. Eram denunciados por caixa dois e lavagem de dinheiro. Hoje, em plena pandemia da Covid-19, o País sofre por incompetência na gestão, com o agravante de manifestações semanais contra e a favor da Democracia e com ameaças explícitas ao atual Estado Democrático de Direito. Entendo que isso é para lá de esticar a corda e nada é feito. Porém, o espantoso são os repúdios repetitivos ao Supremo Tribunal de Justiça, cuja sede foi bombardeada por fogos de artifícios, simbologia por demais agressiva para o País.

Nívio Corrêa Barbosa - Santos

Velocidade perigosa

A velocidade excessiva de motociclistas entregadores põe em risco a vida deles e a dos pedestres. À noite, é um horror. Parece que estão em estradas, com velocidade de Fórmula 1. Ultrapassam outras motos, em ziguezagues, podendo causar acidentes fatais. E as estatísticas? Em média, por semana, ocorrem 5,5 mortes por acidente de trânsito na Baixada Santista. Alguma coisa precisa ser feita para impor limites à velocidade dos entregadores com motos. Para o bem deles e o nosso. Fica aqui o alerta!

Caleb Soares - Santos

Processos em julgamento

Lendo a carta do leitor Evandro Mesquita de Menezes, na edição de 16 de junho, tenho cada vez mais a certeza de que não só eu tenho decepções com a Justiça do Brasil. Se por um lado, processos ficam anos e anos a espera de uma decisão; outros saem rápidos e céleres, dependendo do autor. Um amigo contou que entrou com processos na Justiça. Um está parado há seis meses, outros foram julgados em uma semana. Como é que pode entrar pela manhã um processo grande, com dezenas de páginas, e o juiz decidir à tarde? Existe coerência? Alguém pode se manifestar? Queria entender, mas não consigo.

Solange Vasconcelos Ruas - Santos

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.