Tribuna do leitor - 17 de setembro de 2020

Na edição desta quinta-feira (17), participações de José Pedro Naisser, Orlando Machado, Andrea Cabrera, Wagner Fernandes Guardia e Manuel Lousada Júnior

Incêndios

No meio da pandemia, a Natureza também sofre com os incêndios criminosos nos biomas Cerrado, Amazônia e Pantanal. O governo minimiza a situação ao dizer que são pequenos focos. Uma vergonha! As imagens rodaram o mundo pelo descaso com os biomas, com a biodiversidade e com a vida. Isso é o Brasil de hoje, sem ação para reduzir prejuízos.
José Pedro Naisser - Paraná

Assine o Portal A Tribuna agora mesmo e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos

Renda Brasil

O projeto Renda Brasil que pretendia substituir o Bolsa Familía e tornar-se forte impacto social nas eleições de 2022 em favor da reeleição do presidente Bolsonaro, em especial no Nordeste, foi abortado pelo governo após a apresentação de um vídeo pelo secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, propondo o congelamento das aposentadorias pelo espaço de 2 anos. A reação do presidente foi imediata e explosiva, prometendo aplicar cartão vermelho em quem insistir no assunto. O Ministro Paulo Guedes se apressou em vir a público concordar com o chefe e dizer que o cartão vermelho não foi para ele. É evidente que ele conhecia o projeto e talvez tenha autorizado a divulgação do vídeo para medir a reação que teria. Se positiva, os méritos seriam seus, se negativa, como foi o caso, problema do subalterno. Se autorizou, o cartão vermelho é dele, sim. Cuidado que com 2 cartões a suspensão é longa.
Orlando Machado - Santos

Segurança

Alô Secretaria de Segurança de Santos! Bairros como Campo Grande, Gonzaga, e o Centro, vem sofrendo com o aumento da criminalidade! Assaltos constantes a comércios e roubos a transeuntes tem se intensificando nos últimos dias. Sem contar que no Centro, ainda os bandidos fazem estrago do patrimônio público! O reforço policial deve ir além da orla! Queremos o aumento do patrulhamento e do efetivo policial nas ruas.
Merecemos viver em paz! 
Andrea Cabrera - Santos

Covid-19 na Baixada

Para quem acha que a gripezinha passou, não assusta mais além de outras ignorâncias, está aí o resultado: a média de mortes por COVID-19 volta a subir na Baixada Santista. Há semanas com praias cheias, bares e restaurantes com fila de espera, festas e eventos sendo liberados... Não precisa ser muito inteligente para saber qual seria o resultado para algo que ainda não tem tratamento e nem vacina. 
Wagner Fernandes Guardia - São Vicente

Nossos Chapéus de Sol

Já passei da sexta década de vida e desde minha tenra idade essa forte e frondosa árvore encanta nossa orla, da divisa até a Ponta da Praia, bem como ao longo dos diversos canais. Comum tem sido a crítica de especialistas quanto ao seu plantio, os quais afirmam não ser árvore mais indicada para a cidade. Fato é que a realidade demonstra sua capacidade de fornecer-nos a sombra abençoada que nos refresca no verão, bem como sua vigorosa resistência aos ciclones e ressacas que a atingem. Pragas como “ninho de passarinho” e outras plantas hospedeiras têm judiado dessa fortaleza. Porém na prática pouca ou nenhuma ação temos visto para tentar erradicar tais hospedeiras, mesmo assim elas resistem e dificilmente temos visto alguma dessas guerreiras sucumbir a agressões da natureza. Com a implantação da “Nova Ponta da Praia” algumas dessas nobres árvores foram removidas, e mudas foram plantadas em algumas das áreas hoje sem qualquer sombreamento. Não sei qual a família de árvores foi escolhida, porém as pobres não resistiram ao calor, ao vento e a salinidade da orla. Nova tentativa está sendo feita com novas mudas, as quais espero sobrevivam a rudeza do local, porém uma coisa é certa, durante anos aquele trecho do novo calçadão sofrerá com a insolação e, assim como muitos santistas, continuarei sentindo saudades dos nobres Chapéus de Sol removidos, os quais deveriam ser mais valorizados e protegidos
Manuel Lousada Júnior - Santos

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.