EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Tribuna do Leitor - 16 de junho de 2020

Na edição desta terça-feira (16), participações de Fábio Lopez, João Horácio Caramez, ONG dos amigos de Santos, Eduardo Ribeiro Filetti, Grupo de proteção da família e da cidadania e Evandro Menezes Duarte

Alcides Mesquita

Em meio ao enfrentamento da crise causada pela pandemia, o segmento cultural perdeu um grande nome, Alcides Mesquita. Era carinhosamente conhecido por muitos como Mista, Mesquita ou Mesquitinha. Amava a cidade de Santos, mas não limitou seu trabalho às fronteiras municipais. Sempre teve uma visão ampla e metropolitana da Cultura e destinou a mesma atenção aos movimentos culturais de toda a Região. Um dia após o falecimento do amigo, realizamos histórica reunião da Câmara Temática de Cultura do Condesb, com a presença de secretários de Cultura e dezenas de representantes do movimento cultural da Baixada Santista. Incontáveis foram as manifestações de pesar, carinho e agradecimento, que ficaram oficialmente registradas em ata. Mas as melhores e mais valiosas lembranças estarão para sempre em nossos corações.
Fábio Lopez - São Vicente

Timão

Já pensando em uma possível volta aos gramados, o Corinthians conseguiu um grande feito, ao dispensar o jogador Wagner Love, através de acordo amigável. Em 121 partidas, pelo Corinthians, ele fez apenas 29 gols. É um número tão inexpressivo, ridículo mesmo, que não há nem condição de calcular a porcentagem. Hasta la vista, baby!
João Horácio Caramez - Santos.

Malha ferroviária

Soubemos pela Imprensa que a Rumo Logística renovou seu contrato com o Governo Federal até 2058 e que irá investir mais de dois bilhões de reais na malha ferroviária em todo o Brasil. Diante dessa informação, perguntamos quando serão retomados os ramais já existentes e que estão desativados para o transporte de cargas, grãos e passageiros? São linhas desativadas em Santos e Cajati, bem como, a ligação de Santos a São Paulo e demais cidades, que têm grande importância e poderiam evitar os constantes congestionamentos nas rodovias.
ONG dos amigos de Santos.

Transporte público

Gostaria de parabenizar a Defensoria Púbica do Estado por recomendar a volta de 100% da frota útil do transporte coletivo da cidade, que corresponde atualmente a 273 veículos. Com abertura gradativa de várias atividades, temos que manter o espaçamento social e regras de higiene. Com poucos veículos de transporte público, teremos aglomeração com certeza, o que pode piorar os casos de covid-19 e outras viroses.
Eduardo Ribeiro Filetti - Santos.

União de forças

Acreditamos ser importante manter o distanciamento social nas atividades escolares, universitárias, aulas e cultos religiosos. Entretanto, com cautela e proteção à saúde pública, cremos que as atividades comerciais podem gradativamente reabrir. Para isso, se faz necessário que o transporte público tenha número suficiente de veículos em circulação, para as pessoas não viajarem em pé e amontoadas. Controle também na entrada das lojas e estabelecimentos comerciais, com disponibilização de todos os recursos possíveis no combate à transmissão do novo coronavírus. Tudo sem esquecer da população mais carente, que depende de projetos sociais. Vamos unir forças!
Grupo de proteção da família e da cidadania - Santos.

Igualdade legal

Surpreendente nossa Justiça Federal. O ministro Alexandre de Moraes determina busca e apreensão em dois estados, São Paulo e Rio de Janeiro, e imediatamente os mandados são cumpridos, embora haja portaria do Conselho Nacional de Justiça suspendendo prazos e movimentações processuais durante a pandemia. Eu tenho uma demanda envolvendo pensão estatutária contra o TRT e meu advogado ingressou com Recurso Especial ao STJ em 23 se abril deste ano, sendo que nem sequer obteve despacho impulsionando o mesmo. Cada vez tenho mais convicção que a lei é mais ou menos igual para todos os cidadãos, dependendo de quem esteja do outro lado. Pronto, falei.
Evandro de Menezes Duarte - Santos.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.