EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

10 de Agosto de 2020

Tribuna do Leitor - 11 de junho de 2020

Na edição desta quinta-feira (11), participações de Obed Zelinschi de Arruda, Nívio Corrêa Barbosa, Carlos D. N. da Gama Neto, Djalma de Jess e Beatriz Campos

Belas crônicas

O jornalista Carlos Conde proporciona aos leitores belas crônicas dos assuntos mais curiosos e peculiares da cidade. Já discorreu sobre o Bandido da Luz Vermelha, sobre o grande cantor Nelson Gonçalves e sobre o modo de viver das pessoas antes da TV, onde reinava, absoluto, o rádio. Agora, com a crônica "A musa da feira", Rebeca, que vende frutas, fiquei intrigado. Farei o possível para conhecê-la antes dela se tornar uma engenheira. Enfim, um articulista que relata o cotidiano das pessoas simples, como o José, que trabalhava na feira e João, seu algoz, que trabalhava na construção. Parabéns pelos lindos trabalhos em crônicas!
Obed Zelinschi de Arruda - Santos

Cílios grisalhos

Conheci Alcides Andrade de Mesquita, o Mista ou Mesquitinha, como todos da cidade o chamavam, fazendo campanha eleitoral para Edmur Mesquita, no começo da década de 1980, no Morro da Penha. Posteriormente, foi ele quem me recepcionou quando cheguei na Secult, no governo de Davi Capistrano, época que o PSDB era coligado com o PT, no começo da década de 1990. Todos da cidade comentavam que os equipamentos públicos culturais eram utilizados sem ociosidades e as produções aconteciam tipo virada cultural, em alguns períodos daquela época. Saudades desse agente cultural que a cidade perdeu. O Mista foi o melhor secretário de Cultura que a cidade teve, sem nunca o ter sido de fato. Perdemos seu brilhantismo com o estilo político comportamental que somente ele possuía. Obrigado Mista. Valeu bruxo dos cílios grisalhos. Que Deus o tenha!
Nívio Corrêa Barbosa - Santos

Atropelamento

Atropelado pela penúltima vez em 1945, manteve-se o Português em fase de recuperação até o final do século passado. Claudicante, continuou firme e orgulhoso de sua condição e de sua importância para o mundo, até ser atingido novamente na primeira década deste século. Mas aí, o baque foi mais duro, um golpe quase mortal. Exangue, ele ainda tenta se reerguer, mas vem um e passa por cima fraturando o verbo; vai outro e sobrevém um hematoma no substantivo. A cada instante, alguém o atamanca e vão se desconjuntando até as conjunções; infeccionam-se os advérbios, adoecem também os adjetivos e as chances de sobrevivência se reduzem ao extremo. Debelar as contaminações em um organismo já tão combalido e atacado também pelo vírus do estrangeirismo não é tarefa simples. Teme-se pela sobrevivência do Português. Estas são as observações de um inculto, cujo único título, por indiscutível inutilidade, há muito deveria ter sido aposentado.
Carlos D. N. da Gama Neto - Santos

Autoritarismo

O presidente Bolsonaro, com o intuito de proteger seus filhos usa o poder que o cargo lhe confere para constranger e demitir. Com essa atitude, segundo pesquisas, vem perdendo popularidade e é praticamente certo que não venha a se reeleger. Seu estilo autoritário lembra um pouco o general Milton Cruz na época da Ditadura Militar. Sua obsessão em querer demitir para poder manipular é flagrante.
Djalma de Jess - Santos

Pobre Miguel

Infelizmente, precisou o pequeno Miguel despencar da cobertura de um prédio em Recife, para que viesse à tona a identidade da patroa da mãe da criança. Precisou essa irresponsável ser indiciada para que descobríssemos que, apesar de morarem em Recife, seu marido é prefeito de outra cidade, com esposa e mãe registradas como funcionárias. A própria empregada recebia salário pelos cofres da prefeitura de Tamandaré, morando e trabalhando em Recife. Infelizmente, esse não é um caso isolado, pois é comum pessoas poderosas se aproveitarem das mais simples. Nos estados mais pobres, a prática deve ser recorrente. Se Miguel não tivesse morrido, em breve, esse prefeito poderia se candidatar a deputado e estaria em Brasília, continuando sua vida de corrupção. Quantos desse tipo não permeiam nossa República ainda hoje, não? 
Beatriz Campos - São Paulo

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.