Tribuna do Leitor - 10 de julho de 2020

Na edição desta sexta-feira (10), participações de Boanerges Silva Filho, Manuel Gusmão Filho, Paulo Sérgio de Souza, João Horácio Caramez e Luiz Alberto dos Reis

Ter Idade

Não importa a idade que completamos. Se temos idade, temos vida. A cada ano vivido, lidamos melhor com a vida e com os outros. Aprendemos a retribuir gentilezas e que a opinião alheia não muda nossas vidas. Entendemos como ser mais humanos, estendendo as mãos em ajuda, calando e se afastando, quando necessário. Tolerância é a chave mestra em nossa existência. Ter um coração agradecido. Ser nosso melhor amigo. Dizer e ouvir um não com sabedoria. Não fazer comparações e não esperar muito de outros. Confiar sempre na intuição, que é a voz de Deus em nós. Entender que nada temos na vida, tudo é ilusão. Só envelhecermos de fato quando nos fecharmos para o novo e para a vida, ao ficarmos radicais e inflexíveis. Apenas existe vida quando é possível sonhar, fazer planos, ter energia para superar dificuldades e obstáculos. E, assim, comemorarmos o que realizamos em cada dia de nossa existência.
Boanerges Silva Filho - Santos

Viatura policial

A rua Bias Bueno, no Boqueirão, em Santos, entre a Avenida Conselheiro Nébias e a Rua Osvaldo Cruz, é muito utilizada para estacionamento de motocicletas devido, principalmente, à existência de vários prédios comerciais nas proximidades. Em razão disso, no período comercial, frequentemente ocorrem roubos de motocicletas e as pessoas que, por vezes, presenciam estas ações, sofrem ameaças de assaltantes armados. Durante algum tempo, a autoridade policial competente mantinha uma viatura estacionada nessa rua, com o intuito de inibir essas ações. É urgente que a viatura retorne, para segurança dos motoqueiros e das pessoas que transitam por ali.
Manuel Gusmão Filho - Santos

Comprometimento

Umas das pastas mais importante de um país, a Educação, está desamparada. Acredito, sem medo de errar, que a base de um país que deseja se tornar uma grande nação é a educação. Então, por que está tão difícil encontrar alguém para ocupar o cargo? Sabemos que existem pessoas de extrema competência para a pasta, talvez o problema esteja na falta da carta branca. Faço aqui um apelo ao novo ministro que aceitar essa árdua tarefa, por favor, para cuidar da educação deste país como se fosse a sua vida. É notório que há muito tempo não se tem um comprometimento sério na Educação. Isso precisa mudar com urgência. Queremos muito ser uma grande nação. O Brasil merece e o povo agradece!
Paulo Sérgio de Souza - Santos

Muito estranho 

Tempos atrás, fiz parte de um grupo filantrópico que mantinha algumas famílias no México 70. Como naquela época não se falava muito em cesta básica, alimentos como arroz, feijão e farinha de mandioca eram comprados a granel e pesados manualmente, conforme a quantidade de membros de cada família. Assim, cada cesta ia sendo montada. Era trabalhoso e dependia da boa vontade desse grupo de abnegados portuários, principalmente na parte financeira, onde o auxílio era descontado na folha de pagamento. Com a famigerada privatização do porto Santista e o fim das doações, ficou impossível manter o grupo, cujas atividades foram encerradas. Em função da responsabilidade e do trabalho, sem remuneração, três pessoas se revezavam na presidência do grupo. A minha estranheza é que, segundo a mídia, já temos 25 possíveis candidatos para a Prefeitura de Santos. #pelamordeDeus. Molezinha, também quero!
João Horácio Caramez - Santos

Melhor intercâmbio

A administração de Praia Grande merece ser parabenizada, pela eficácia na condução desta pandemia, pois, com população na casa dos 325 mil habitantes, registrou 116 mortes ontem. Santos, com cerca de 440 mil habitantes, registrou 391 óbitos. Proporcionalmente, o desempenho foi muito ruim se confrontado com o município vizinho. Considerando o adágio popular que nada se cria, tudo se copia, que tal melhorar o intercâmbio entre essas prefeituras?
Luiz Alberto dos Reis - Santos

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.