EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

15 de Julho de 2020

Tribuna do Leitor - 1º de junho de 2020

Edição desta segunda-feira (1º) conta com participações de Orlando Bezzi, Gualter Cardoso, entre outros

Importância da Imprensa
Podemos afirmar que a democracia se baseia na liberdade de expressão, sendo notório que a Imprensa tem grande participação neste papel. A existência de uma Imprensa livre, em seus inúmeros veículos de informação, serve única e exclusivamente para levar até aos cidadãos notícias idôneas, informações coerentes e instruções corretas, visando a melhoria da sociedade como um todo, nunca ao contrário! Com a evolução da tecnologia, a Imprensa também evoluiu. Hoje, temos diversos recursos na ponta dos dedos para ter informação de milhares de lugares no mundo, no instante em que desejarmos, seja através do celular, notebook, computador ou tablete. A responsabilidade que a Imprensa tem é enorme. Seus profissionais precisam buscar fontes seguras antes de publicar qualquer notícia, reafirmando o compromisso com a sociedade em relatar sempre a verdade seja em jornais, no rádio ou na televisão. Neste dia 1º, parabenizo todos os profissionais da Imprensa, que diariamente nos informam, sempre com imparcialidade, transparência, ética, respeitando à sociedade e às leis!
ORLANDO BEZZI PASQUARELLI – SÃO VICENTE

Falta de capacidade
Difícil imaginar, neste momento, qual seria o melhor presidente para o Brasil. Estamos sempre procurando homens honestos, competentes e possuidores do verdadeiro sentimento patriótico, exatamente o que nosso país, dilapidado por governos anteriores, tanto precisa. Atualmente, o que temos é uma pessoa desastrada, cujas ações podem trazer consequências graves, em um Brasil de situação instável. Se pudesse, aconselharia a todos os ministros que pedissem exoneração, antes que o presidente os demita. Fico indignado com os procedimentos autoritários do nosso presidente. Claramente, lhe faltam condições e capacidade para governar uma nação democrática, pois ele desconhece esse regime.
GUALTER CARDOSO DE SOUZA - SANTOS

Salvar vidas
Até quando seremos reféns dos gestores estaduais e municipais em relação ao isolamento social, algo claramente para político se autointitular em salvador de vidas? Um jornal de São Paulo informa que o prefeito de Nova Iorque disse que dois terços da população daquela cidade foi infectada dentro de casa, em pleno lockdown. Quando os nossos gestores públicos terão coragem de enfrentar, e assumir com responsabilidade e sem politicagem, essa pandemia? Flexibilizar conscientemente para que todos voltem a trabalhar e ganhar seu sustento? A vida não tem preço, mas tem custo. Por isso, salvar vidas não é só ficar em casa, mas também sair para trabalhar e ter condições financeiras de enfrentar para enfrentar a pandemia.
HENRIQUE M.C. CRUZ – SANTOS

Vaga sem identificação
Na esquina da Av. Bartolomeu de Gusmão (avenida da praia) com a Rua Oswaldo Cochrane, no Embaré, sentido Ponta da Praia/Gonzaga, no final do ano passado, foi pintada no solo uma vaga zebrada, sem a identificação que tal vaga é de estacionamento proibido. Logo a seguir há uma faixa viva, para travessia de pedestres, com semáforo para tal. O curioso de tal vaga é que não há conversão à direita, o que justificaria a área ser zebrada. Mas a Rua Oswaldo Cochrane tem mão para a Av. Bartolomeu de Gusmão, o que não justificaria tal interdição da vaga. Quem responde pela criação de tal vaga sem a devida identificação e qual a sua finalidade?
HORÁCIO LOPES - SANTOS

Raízes verdadeiras

Com a proximidade das eleições, começam a surgir novos e antigos amantes da cidade, com suas juras de amor e preocupação. Neste ano, com a novidade dos importados. Ser calunga é mais do que ter nascido em São Vicente, é ter sido criado aqui e escolhido viver, trabalhar, constituir família e criar os filhos aqui. Candidatos com verdadeiras raízes na cidade, boa formação técnica e currículo de serviços prestados ao município precisam se lançar para evitar a onda de estrangeiros e salvadores da pátria, mesmo quando ligados a velhas raposas da política vicentina. Caberá aos eleitores separar o joio do trigo, para mais uma vez não assistirem o progresso das cidades vizinhas em detrimento da Célula Matter, devido a um quadro de vereadores submissos a um governo que usa a distribuição de cargos como forma de barganha.
MARCO A.M. ANTONELLI – SÃO VICENTE

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.