EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

20 de Janeiro de 2020

Tenente Coimbra

Matheus Coimbra Martins de Aguiar é 1º Tenente do Exército Brasileiro. É formado em Administração de Empresas. Também possui formação em Política e Estratégia, na Escola Superior de Guerra (ADESG). Foi eleito deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL), com 24.109 votos, nas eleições de 2018

Nossos heróis brasileiros que perderam a vida no Haiti

Cabo Ari Dirceu Fernandes Júnior e soldado Kleber da Silva Santos atuavam na Força de Paz do Haiti quando o país foi devastado, há 10 anos, por um terremoto

Você já ouviu falar do cabo Ari Dirceu Fernandes Júnior e do soldado Kleber da Silva Santos? Muito provavelmente, se você não morar na Baixada Santista, a resposta será não. Mas os dois são heróis que atuavam na Força de Paz do Haiti quando o país foi devastado, há 10 anos, por um terremoto que deixou cerca de 200 mil mortos e 300 mil feridos, no dia 12 de janeiro de 2010.

Ambos serviam em São Vicente e integravam a Força de Paz da Organização das Nações Unidas, sob o comando do Exército Brasileiro, no Haiti.  Morreram no terremoto que foi considerado o quinto mais grave da história do mundo, destruiu a maior parte da capital haitiana, incluindo o prédio da sede do governo (Palácio Presidencial), a sede do Banco Mundial e a catedral de Notre-Dame de Porto Príncipe.

Os dois atuavam pelo Exército Brasileiro no país e foram promovidos, depois de mortos, à patente de terceiro-sargento. São verdadeiros heróis da nossa região, que precisam receber o reconhecimento e valorização tão merecidos a quem perdeu a vida para ajudar os mais necessitados. 

Precisamos manter viva a memória desses militares, para que suas histórias sirvam de exemplo para as futuras gerações. O profissionalismo e abnegação deles não podem ser esquecidos pelo tempo.

Por isso, na última sexta, o comando do 2° Batalhão de Infantaria Leve (2º BIL) Martim Afonso homenageou ambos em uma cerimônia que contou com a presença das suas famílias. A emoção deu o tom da homenagem aos heróis.

O cabo estava no Exército desde 2004, e o soldado, desde 2006. Os dois se preparavam para voltar ao Brasil quando foram surpreendidos pelo terremoto que abreviou suas belíssimas trajetórias no Exército Brasileiro.

Ao lado de Dirceu e Silva Santos, outros 87 militares de São Vicente compunham o grupo de 1.300 militares brasileiros na missão de paz. No total, 18 militares brasileiros perderam suas vidas na tragédia. 

Depois do desastre natural, se instalou uma crise humanitária sem precedentes no país da América Central. E, novamente, o Exército Brasileiro se fez presente, ajudando no socorro e reconstrução do país. No comando da Missão das Nações Unidas de Estabilização do Haiti (Minustah) desde 2004, o Brasil liderou as ações de resgate, de assistência humanitária e de reconstrução, confirmando sua vocação humanitária além da atuação na defesa e segurança. 

Aos vicentinos mortos e a todos os militares que atuaram no Haiti, nosso agradecimento e eterno reconhecimento aos heróis que agem diariamente na busca por um mundo melhor.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.