Tenente Coimbra

Matheus Coimbra Martins de Aguiar é 1º Tenente do Exército Brasileiro. É formado em Administração de Empresas. Também possui formação em Política e Estratégia, na Escola Superior de Guerra (ADESG). Foi eleito deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL), com 24.109 votos, nas eleições de 2018.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

MEC quer duas escolas cívico-militares na Baixada

A primeira cidade a ser contemplada é São Vicente, cujos trâmites para inclusão no Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) estão em ritmo adiantado

A nossa região está na iminência de ter não só uma, mas duas unidades das escolas cívico-militares, dentro do programa do governo federal. O ministro da Educação, Milton Ribeiro, revelou, durante uma solenidade em Homenagem aos Oficiais R/2, que pretende instalar duas unidades na Baixada Santista. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

A primeira cidade a ser contemplada é São Vicente, cujos trâmites para inclusão no Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) estão em ritmo adiantado.  

Na solenidade, que ocorreu no último dia 13, o ministro informou que o Ministério da Educação pretende abrir as consultas às cidades da região para, o mais breve possível, escolher o novo integrante do Pecim. 

O envolvimento do ministro para trazer o modelo de educação para a nossa região é fundamental para que consigamos aumentar a qualidade do ensino ofertado aos nossos jovens. 

Sabemos que o grau de desenvolvimento de uma nação, estado ou cidade se afere pelo termômetro da Educação. E a área é responsável pelo desenvolvimento dos demais setores da sociedade. 

Onde a educação é forte, a Saúde melhora, a Economia é mais desenvolvida e até os índices de criminalidade diminuem. É o primeiro investimento de longo prazo que devemos fazer para que possamos ser, de fato, um país desenvolvido e soberano. 

O investimento no setor é fundamental nesta fase em que vivemos, com a crise econômica provocada pela pandemia. 

Fortalecer o nosso sistema de ensino, por meio das escolas cívico-militares, não só eleva as notas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), como também reduz a violência escolar e valoriza os professores, que terão um ambiente de trabalho com respeito, segurança e disciplina. 

É um programa que conta com inúmeros benefícios e que deveria estar em todos os municípios do nosso estado. Temos sorte de ter no MEC um dirigente que olha para a nossa região com tanto carinho!

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.