Tenente Coimbra

Matheus Coimbra Martins de Aguiar é 1º Tenente do Exército Brasileiro. É formado em Administração de Empresas. Também possui formação em Política e Estratégia, na Escola Superior de Guerra (ADESG). Foi eleito deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL), com 24.109 votos, nas eleições de 2018.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Grafeno do Vale do Ribeira é oportunidade de crescimento tecnológico e econômico

O grafeno pode ser utilizado na produção de peças de roupas, raquetes de tênis, sensores de detecção de doenças e, atualmente, é testado em novos aparelhos celulares, carros, aviões, redes de fibra ótica, entre outros meios

Na última semana, estive na Universidade Mackenzie para conhecer um pouco mais do trabalho que é realizado com o grafeno, o material mais fino do mundo (mais que um fio de cabelo) e mais resistente do que o aço.  Ele é considerado tão revolucionário quanto o plástico ou o silício, podendo até mesmo substituí-los.

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

O grafeno pode ser utilizado na produção de peças de roupas, raquetes de tênis, sensores de detecção de doenças e, atualmente, é testado em novos aparelhos celulares, carros, aviões, redes de fibra ótica, entre outros meios. Aqui no Brasil, o Centro de Pesquisas Avançadas em Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologias (MackGraphe) é o primeiro local de estudos sobre o assunto na América Latina.

Com o avanço das pesquisas acerca dos potenciais deste material e com incentivo na sua produção, uma das regiões que mais serão beneficiadas será o Vale do Ribeira, que possui diversas montanhas de grafite (matéria-prima do grafeno) em seu território.

Aliás, possuímos uma das maiores reservas de grafite do mundo, o que nos oferece a oportunidade de estar na vanguarda do desenvolvimento tecnológico e das suas aplicações industriais e comerciais. Precisamos investir cada vez mais neste material para que o Brasil seja internacionalmente competitivo.

Como pude presenciar, o Centro de Pesquisas da Mackenzie fica em um prédio moderno, de alta tecnologia e possui pesquisadores de alta qualificação. Quanto mais centros semelhantes tivermos, maior crescimento conseguiremos conforme os estudos forem avançando.

Em momentos de crise econômica, como o atual, não podemos perder as oportunidades, ainda mais quando estão bem na nossa frente, como é o caso do grafeno. O Vale do Ribeira poderá se beneficiar muito, por isso, investir neste setor é uma grande chance de crescimento econômico e tecnológico regional, que se expandirá para todo o país.

O presidente Jair Bolsonaro, desde quando ainda era deputado federal, já apoiava a exploração do grafeno e apontava para o potencial que o material tem de impulsionar a economia brasileira. Hoje, como presidente da república, não tenho dúvida de que seu governo elevará esse material à condição de riqueza nacional, para o bem de nosso povo.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.