EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

22 de Outubro de 2019

Roberto Monteiro

Foi repórter das principais rádios de São Paulo: Bandeirantes, Record, Jovem Pan e Gazeta. Nos últimos anos atuou nas maiores emissoras de rádio de Salvador.

Fernando Diniz marcante e Santos volta a vencer

Técnico do São Paulo estreou sem permitir que líder Flamengo chegasse a um resultado além do empate. Peixe diminui diferença para os times da ponta

Amigos, a estreia de Fernando Diniz no comando do São Paulo acabou sendo marcante. Afinal, foi ao Maracanã e não permitiu que o líder Flamengo chegasse a um resultado além de um zero a zero. Equipe bem postada, confiante, típica de um time que quer mostrar jogo para o técnico estreante.

Destaque para o goleiro Tiago Volpi, importante em momentos cruciais, e também para a determinação defensiva de Arboleda e a habilidade de Antony.

Me parece claro que, com Fernando Diniz no comando, a forma do time jogar será bem mais vistosa e eficiente do que foi até onde Cuca suportou.

O Corinthians voltou a vencer em casa num jogo bem equilibrado diante do Vasco. Num primeiro tempo sem muita emoção, com muitos erros de passe, Pedrinho perdeu duas chances de marcar. O Vasco sempre buscando o contra-ataque tinha o atacante Ribamar muito isolado.

Mesmo com o Vasco voltando melhor e mais ofensivo, quem abriu o placar no segundo tempo foi Ralf, em boa jogada com Boselli. O jogo melhorou de qualidade, mas quem acabou sendo o destaque foi mesmo o VAR anulando três gols em duas chances do Vasco e uma do Corinthians. No final, prevaleceu mesmo o dono da casa que está subindo na classificação a cada rodada. Termina em quarto lugar, ainda com um jogo a menos.

O Santos também voltou a vencer em casa, fazendo 2 a 0 no CSA e diminuiu a diferença de pontos para Flamengo e Palmeiras. Com alterações na formação do time, Sampaoli viu um primeiro tempo com pressão de seu time, porém sem muita objetividade.

A partir de grande jogada de Soteldo, um pênalti permitiu a abertura do placar, mas ainda assim o jogo continuou fraco e lento. O Santos voltou mais ligado e, num lance de escanteio, Sasha marcou o segundo gol, tranquilizando demais o time, que voltou a jogar com toques lentos, tanto que nos minutos finais permitiu que o time alagoano criasse alguma coisa sem muito perigo.

Finalizando, o Palmeiras empatou em Porto Alegre com o Internacional, que fez trinta minutos de jogo com muita marcação por pressão, movimentação e toques rápidos, sem permitir reação ao time de Mano, fazendo 1 a 0 logo depois de ter carimbado a trave esquerda de gol do Weverton. Somente nos quinze minutos finais, o Palmeiras conseguiu sair para o jogo mesmo sem muita disciplina tática, perdido que estava na marcação e nos erros excessivos de passes.

Na volta, mais focado, o Palmeiras mudou o panorama da partida, perdendo três oportunidades em dez minutos. Willian com muita precisão empatou o jogo. Lucas Lima novamente entrou bem, mostrando que a confiança demonstrada por Mano Menezes está sendo correspondida.

A história da rodada poderia ser diferente, não fosse a participação do VAR que nos jogos do Corinthians e Palmeiras acabou sendo decisivo: no gol de Werley para o Vasco houve muito rigor na aplicação do impedimento, considerando uma parte de seu braço como ilegal na cobrança de falta, e no jogo de Porto Alegre, Willian sofreu falta na entrada da grande área, caiu e involuntariamente tocou com o braço na bola, seguido do gol da virada de Bruno Henrique. Mas, no rigor da fria lei houve aplicação da falta, que evitou a chegada do Palmeiras mais próxima ainda do Flamengo.

O VAR é bom e deve ser respeitado, porém tem mudado muitas decisões do árbitro em campo, tirando sua condição de autoridade máxima no jogo. Requer critério para sua aplicação, em todos os casos em que a lei de jogo exige sua utilização.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.