EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

20 de Maio de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino, Alexandre Fernandes e Bruno Gutierrez. O quarteto traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Tottenham: entre a glória e a frustração

Final da Liga dos Campeões começa nesta quinta-feira para o clube inglês, que está na bifurcação entre a coroação ou decepção na temporada

O Tottenham vive momentos de êxtase e tensão a partir desta quinta-feira (9). O Spurs conseguiu se superar na Liga dos Campeões, na última quarta-feira (8), ao virar contra o Ajax, na Holanda, por 3 a 2 (após estar perdendo de 2 a 0) e chegar, pela primeira vez em sua história, na final do torneio continental. 

Foi mais uma façanha dos comandados de Pochettino neste torneio. Na fase anterior, o time de Londres eliminou o poderoso Manchester City, de Pep Guardiola, com requintes de crueldade ao ver o gol de Aguero (que classificaria os Citzens) ser anulado, já nos acréscimos do segundo tempo.

Um time que chega a maior decisão dos 136 anos sem contar com a estrela, Harry Kane, machucado. Mas que conta com um inspirado Son e com um surpreendente Lucas, que na ausência do artilheiro da equipe, já conseguiu anotar dois hat-tricks (3 gols numa partida) - o primeiro foi diante do Huddersfield pelo Campeonato Inglês no dia 13 de abril -, sendo que nunca havia conseguido tal feito na carreira pela Europa. E o último deles, justamente, contra o Ajax.

Lucas Moura comemora classificação contra o Ajax, na Liga dos Campeões (Foto: EMMANUEL DUNAND/AFP)

Só que nem tudo são sorrisos para o Tottenham. A final da Liga dos Campeões começa nesta quinta-feira para os ingleses. Explico o porquê. O Campeonato Inglês dá quatro vagas para a disputa da Champions da próxima temporada. Hoje, os Spurs ocupam a quarta colocação, portanto, no limite da classificação para a principal competição europeia.

O time tem 70 pontos. O terceiro colocado, Chelsea, 71. Enquanto o Tottenham irá receber o Everton, oitavo colocado, os Blues visitam o Leicester, na nona posição. O Arsenal está na quinta posição, com 67 pontos. E aí é que mora o perigo para o time de Pochettino.

Uma derrota do Tottenham e uma vitória do rival contra o Burnley, dependendo do número de gols, o Spurs cairia para a quinta colocação. Para isso, o time vermelho e branco teria que tirar uma diferença de saldo que se encontra na casa de 8 gols.

No entanto, os Gunners ainda estão na briga pelo título da competição europeia, tendo vencido o primeiro jogo da semifinal do torneio, contra o Valencia, da Espanha, por 3 a 1. Se passar pelos espanhóis, os ingleses enfrentam o vencedor do duelo entre Chelsea e Eintracht Frankfurt.

E qual o problema disso? Se o Arsenal for campeão da Europa League, ele está automaticamente classificado para a próxima Liga dos Campeões. Mas, se conseguir ficar em quarto lugar do campeonato, essa vaga da Liga Europa vai para o terceiro colocado do Campeonato Francês, não para o quinto colocado do Inglês.

Com isso, restaria ao Tottenham somente a vaga de campeão da última edição da Champions para conseguir a vaga na edição de 2020 do torneio. Na grande decisão de Madrid, os Spurs irão enfrentar o Liverpool, que ainda pode ser o campeão inglês e que venceu os dois duelos pelo campeonato nacional, ambos por 2 a 1.

O Tottenham vive um sonho. As chances são remotas, mas existe a possibilidade de, após o último apito do jogo de 1º de junho, o conto de fadas pode virar um pesadelo para parte de Londres. O torcedor do Tottenham deve torcer para o rival se classificar para a final do torneio europeu e "esquecer" a disputa da Primier League ao focar, somente na decisão da taça.

Mas, claro, que se o pior do mundos ocorrer para os Spurs, nada irá apagar a brilhante temporada do time de Pochettino, que desde o começo do ano teve que lidar com vários problemas como lesões e a demora em retornar para o novíssimo Tottenham Hotspur Stadium, construído no lugar do antigo White Hart Lane, e que só ficou à disposição do clube em 3 de abril deste ano.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.