EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

17 de Agosto de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Pará, Luan Peres e Lucas Venuto: é suficiente?

Santos acertou a chegada de três atletas, mas ainda existem carências no elenco; jogadores precisam provar, em campo, que podem ser considerados reforços

O Santos acertou, nesta semana, a vinda de mais três jogadores: o lateral-direito Pará, o zagueiro Luan Peres e o atacante Lucas Venuto. Agora, são 14 reforços no elenco de Jorge Sampaoli nesta temporada. No entanto, somente estes três jogadores será o suficiente?

O time ainda segue com carências em algumas posições, e as peças de reposição não chegaram. Pode ser que o clube ainda não tenha encerrado o ciclo. Afinal, ainda é possível contratar jogadores sem contrato ou que atuam no Brasil. Mas as opções vão ficando cada vez mais escassas.

Na defesa, a vinda de um zagueiro não significa que alguém irá sair. Foi a solução para a falta de atletas dentro do elenco. Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Luiz Felipe. São apenas quatro jogadores, para uma posição onde tem atuado três atletas. Era mais do que necessário a vinda de alguém. Sampaoli conta com jovens como Wagner Leonardo e Kaique Rocha, mas eles ainda não foram testados.

Luan Peres já foi desejado por Vasco da Gama e Grêmio. Teve um certo destaque quando passou pela Ponte Preta, mas não conseguiu se firmar durante a curta passagem pelo Fluminense. No Santos, talvez, seja a chance de ouro do atleta para ter um maior protagonismo.

Pará também era uma necessidade. Sem Matheus Ribeiro, a única opção para Victor Ferraz era o garoto Cadu. Existe quem possa questionar a qualidade de Pará. Boa parte da torcida não concordou com o seu retorno. E eu entendo a descrença. Mas, prefiro não ser pessimista. O veterano lateral-direito tem uma qualidade que o treinador argentino preza. Ele tem aplicação tática. É um jogador que, se falta técnica, ele compensa sendo voluntarioso. 

No meio de campo, o substituto de Jean Lucas não apareceu. Sampaoli não vê Jobson pronto e ficou uma lacuna deixada pelo ex-Flamengo. Em contrapartida, o Alvinegro trouxe Evandro. Este ainda é um grande ponto de interrogação. Depois do fiasco que foi Bryan Ruiz, o receio por um reforço vindo da Europa, com passagens pela Premier League e pelo Porto, existe. 

Evandro é meia-atacante, que gosta de entrar na área, que gosta de finalizar. Pode se infiltrar tanto pelo meio, quanto pelos lados. Ser um diferencial nas famosas triangulações do ataque santista. Mas é preciso que ele demonstre, em campo, o que já fez na Europa.

Já o ataque é o que me preocupa. Não por causa dos pontas. Ali, sobra opção. Soteldo, Marinho, Sasha, Derlis González... Agora, Lucas Venuto. Uma carreira feita, praticamente, no futebol austríaco. Apesar de atuar em todas as posições do ataque, é mais um que gosta de atuar pelos lados do campo, de preferência, o direito.

O problema é que a função central, o camisa 9, parece não ter estreado. Uribe ainda muito abaixo do resto do elenco. E com o peso de ter que ser o artilheiro, a cobrança só tem sido maior. Nestes primeiros jogos, não tem demonstrado que valeu o investimento. E, pela forma como atua em campo nas partidas do Alvinegro, é cada vez mais difícil acreditar que algo vai mudar.

O Santos ainda precisa de um volante, ainda precisa, ao menos, de mais um meia, e um centroavante. Aí, pode ser que o presidente José Carlos Peres dê como encerrada a temporada de reforços.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.