EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

O teu futuro é duvidoso, Santos

Gestão do presidente José Carlos Peres vive em atritos com quem aponta erros claros e que podem custar dinheiro e o 2020 do clube

O presidente do Santos, José Carlos Peres, parece não lidar bem com as críticas. Até por isso, informações vazam para a imprensa e, quase que constantemente, o mandatário está em rota de colisão contra algum profissional gabaritado do clube.

Cuca e Emily Lima sofreram com isso. No caso da ex-técnica das Sereias da Vila, a bronca foi pública, deixando a então comandante, elo mais fraco politicamente, totalmente fragilizada. Tudo porque ela criticou a falta de organização da instituição e da CBF, que fez as jogadoras "acamparem" no saguão de um hotel, durante uma viagem a Manaus para enfrentar o Iranduba.

O caso Carlos Sánchez foi de um amadorismo tremendo. E, assim como Emily, os apontamentos de Cuca foram mais do que justos. Aquela escalação, a falta de informações, tudo culminou para uma eliminação precoce do Santos na Copa Libertadores da América.

Neste ano, foram várias reclamações de Jorge Sampaoli ao longo do ano. Os erros são diversos. O vazamento de informações, a perda de atletas, a demora para repor peças do elenco, a falta de planejamento, a dificuldade de comunicação. Não me surpreende que os boatos de uma saída do argentino antes do término de contrato aumentem a cada dia. Um técnico que está acostumado com um padrão profissional não suporta passar tanto tempo no amadorismo.

Agora, foi a vez de Paulo Autuori. O dirigente está cansado e incomodado. Deve ser difícil nadar contra uma maré dessas. A impressão que existe é que o Santos possui uma grande caixa preta, trancada com uma senha que só o José Carlos Peres tem acesso. E ele não a divide com ninguém. Quem deveria ser alertado sabe do problema quando ele está para explodir. 

O profissional vira um bombeiro, que precisa sempre estar disposto a apagar algum incêndio causado pelo mandatário. Não existe clube que aguente. 

Mas, o Santos não é qualquer clube. Se resistiu a Odílio Rodrigues, há de resistir a José Carlos Peres. E, quem sabe, ainda conseguir alguma glória em meio ao caos. 

Entretanto, que o presidente deixe de esconder a realidade das coisas dos seus funcionários mais próximos e que seja feito um planejamento detalhado e pensado. O 2020 que se anuncia já será de dificuldades. Sabemos. Sem planejamento, pode ser fatal. E não tem base ou raio, hoje, que vá salvar o ano.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.