EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Mano Menezes frita Borja no Palmeiras

Treinador desmoraliza o atacante ao dizer que ele não é a estrela que muitos pensavam

Não o melhor, mas talvez o mais inteligente dos treinadores brasileiros da atualidade, Mano Menezes não pode alegar que foi mal-interpretado quando detonou Borja em público. Em entrevista à ESPN Brasil, o técnico do Palmeiras disse que o colombiano não atendeu às expectativas porque não era  estrela, nem tinha experiência suficiente para defender o clube brasileiro.

Hoje, com a má fase do atacante, é fácil concordar com Mano. Mas em 2016, quando foi campeão e artilheiro da Libertadores pelo Atlético Nacional, da Colômbia, a coisa mais óbvia era um clube endinheirado como o Palmeiras contratá-lo. Principalmente sem a concorrência do futebol europeu, que, talvez com mais e melhores informações sobre o jogador, não se esforçou para levá-lo.

De fato, Borja raramente desempenhou um bom papel no Palmeiras. Apesar de manter a boa média de gols em Libertadores, nas demais competições ele foi muito mal. Em alguns jogos, suas limitações ficaram evidentes com requintes de crueldade. E sejamos justos: ao chegar, Mano Menezes deu chances ao colombiano. Ainda assim, criticar o jogador  do próprio time em público não tem cabimento.

Talvez, Mano esteja fazendo o “serviço sujo” para a diretoria do Palmeiras. A intenção por trás de uma investida negativa como essa não pode ser outra que não forçar o jogador a ir embora. Afinal, ele custou caro – US$ 10,5 milhões, cerca de R$ 34 milhões na cotação da época – e no início do ano recusou uma proposta para sair.

Duro vai ser aparecer alguém disposto a pagar tanto por um atacante desmoralizado pelo próprio treinador, que abandonou o habitual cuidado com as palavras e deixou claro que o colombiano vai precisar nascer de novo para ter nova chance em um elenco que tem Luiz Adriano, Deyverson e Henrique Dourado.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.