EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Jesualdo aprendeu?

Mudanças do segundo tempo surtiram efeito. No entanto, para o torcedor santista, elas eram óbvias

Jesualdo Ferreira voltou da Argentina com três pontos na bagagem e liderança do grupo na Copa Libertadores da América, além do fim do jejum de vitórias e de gols. O treinador ganha um pouco de paz, em meio a turbulência por cobranças das últimas semanas, para dar prosseguimento ao trabalho.

Na coluna anterior, havia dito que era necessário que Jesualdo mudasse. Talvez, ele tenha mudado. Talvez, foi sorte. Mas o Santos mudou, aos poucos, a forma de atuar. Contra o Palmeiras, a apresentação foi menos sofrível. No segundo tempo contra o Defensa Y Justicia, foi possível até se animar, em alguns momentos, com a atuação do time.

No entanto, o mais importante é saber: Jesualdo aprendeu? 

Explico a dúvida. Apesar de entrar com Evandro na Copa Libertadores, essa mudança só existiu devido a lesão de Alison. Ainda assim, o treinador português sacou o meia para colocar o volante Jobson na vaga, voltando ao esquema antigo, com três volantes (Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez). 

Segundo ponto é que o gol de empate saiu porque Jobson avançou. Para isso, ele contrariou a ordem do técnico, que havia ordenado que o jogador permanecesse próximo a linha dos zagueiros.

Terceira observação: os dois gols santistas só saíram após Soteldo ser deslocado para a esquerda. Durante todo 2019, o venezuelano rendeu melhor atuando naquele lado do campo. Jesualdo insiste em sacrificar o baixinho no lado direito, onde ele mais vai à linha de fundo ao invés de tentar a infiltração na área.

E essas constatações são óbvias para o torcedor que acompanhou todo 2019: Soteldo na esquerda e os volantes precisam se aproximar da linha de três atacantes para ameaçar o gol adversário. Depois de dois meses espero que Jesualdo tenha percebido isso e não sido, apenas, um golpe de sorte.

Se aprendeu ou não, o jogo contra o Mirassol irá responder. Aguardemos...

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.