EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

20 de Novembro de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Falta ambição ao Santos

Em determinados momentos, o time parece satisfeito com o terceiro lugar

O Santos perdeu para o Atlético-MG, por 2 a 0,  e viu a pequena chance de título ficar ainda menor. Agora, são 13 pontos de distância para o líder Flamengo e restam apenas 11 rodadas para a virada.  E antes de pensar em ultrapassar os cariocas, ainda é necessário superar o Palmeiras, segundo colocado com 54 pontos.

Para entender a situação, não basta admitir que o time flamenguista é quase uma seleção e que os santistas formam um elenco mais modesto. A postura conta muito. No jogo do último domingo, os comandados de Jorge Sampaoli deixaram claro um de seus principais defeitos, a falta de ambição, em que pese a boa campanha. Afinal, só isso explica a desatenção de Jorge no primeiro gol dos mineiros, marcado por Luan.

Um time que sonha com o título não pode enfrentar um adversário que vem de resultados ruins como o Atlético-MG e levar gol com 1 minuto de partida. Principalmente no começo do jogo, era preciso ter atenção total, concentração, “sangue nos olhos” para aos poucos enervar o rival e buscar os espaços no ataque que certamente apareceriam.

Em seus melhores momentos no Campeonato Brasileiro, como na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras, o Santos foi um time intenso, que pressionou o adversário e inibiu qualquer reação. Ainda que o clássico tenha sido na Vila Belmiro e que a derrota para os mineiros tenha acontecido em Belo Horizonte, não se pode admitir uma equipe desligada, que levou o segundo gol pouco tempo depois e viu as chances de voltar para casa com pelo menos um ponto acabarem de  vez. Além do mais, para efeito de espetáculo é decepcionante ver uma partida se decidir ainda no começo.

Já que o título está encaminhado, cabe ao Santos não relaxar para brigar pelo menos pela segunda colocação. Se entender que o terceiro lugar está de bom tamanho, por garantir vaga na fase de grupos da Libertadores, o time santista pode se arrepender amargamente. Não que São Paulo, Corinthians e Internacional, times que fecham o G6, sejam grande ameaça. Na verdade, pelo que jogam, São Paulo e Corinthians estão no lucro por estarem onde estão. Mas sabe como é esse tal de futebol...

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.