EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

20 de Junho de 2019

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino e Bruno Gutierrez. O trio traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Caso Oliveira mostra que Peres não sabe o que quer

Interesse no camisa 9 expõe que presidente santista tem gerido o clube mais com o estômago do que o cérebro

Ricardo Oliveira foi uma aposta de Modesto Roma que deu certo. Desacreditado no mercado nacional devido ao tempo no futebol árabe e ao histórico de lesões, assinou um contrato de risco. Um Campeonato Paulista foi o suficiente para calar os críticos e atrair olhares (palmeirenses). O atacante foi fiel ao Santos. Renovou. Foi valorizado.

Em três temporadas, anotou 71 gols em 140 jogos (uma média 1 gol a cada duas partidas) e faturou dois títulos paulistas. No entanto, com a chegada de José Carlos Peres, a lua de mel entre o camisa 9 e o Peixe acabou. Queria ser valorizado, com aumento e dois anos de contrato. O então novo presidente santista negou um vínculo extenso.

Agora, dois anos depois, o mandatário santista quer Ricardo Oliveira. Elogiou o atacante. "É um jogador aplicado, se cuida, não fuma, não bebe, dorme cedo. Tem uma vida regrada”. O nome também agrada a Jorge Sampaoli. Segundo a imprensa esportiva, o argentino teria ligado para Oliveira e o chamado para voltar à Vila Belmiro.

Não precisava disso. O filho de Oliveira é torcedor do Santos, ele tem um carinho pelo clube, foi goleador com a camisa do time. Mas não foi valorizado por Peres. Agora, o presidente quer gastar mais do que teria gasto em 2017 para contar com o jogador.

Isso mostra que Peres governa o Santos com o estômago, e não com o cérebro. É impulsivo quando pressionado. Oliveira é só mais um caso. Na última quarta-feira (27), anunciou o lateral-esquerdo Jorge, vindo por empréstimo do Monaco. Pouco antes, tirou Cueva do futebol russo. Ao mesmo tempo, atrasou salários de jogadores e funcionários do clube.

Qual o nexo? Como um clube que vive dificuldades financeiras se lança em algumas loucuras por jogadores, sem ter a certeza de que conseguirá arcar com as dívidas?

Há quem diga que o Santos vende o almoço para pagar a janta. O torcedor deveria começar a se preocupar em relação ao rombo nas contas do clube após a Era Peres. Afinal, a gestão Odílio foi desastrosa em todos os sentidos, Modesto Roma maquiou o desastre administrativo com título. Qual será o "legado" do atual presidente

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.