Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Uma lição para o resto da vida

É bem provável que nenhum de nós seja mais o mesmo de antes da pandemia

Ainda não sabemos quanto tempo esse surto irá durar, quantas vidas serão perdidas ou quais os danos psicológicos e econômicos ele deixará. Talvez isso jamais possa ser calculado com precisão. Em breve, você vai ouvir falar em milhões, bilhões de reais. Mas não existe como mensurar vidas. É impossível calcular quanto vale a dignidade de um pai de família que fica desempregado ou de um empresário que vê seu negócio fechar, depois de anos de dedicação. O certo é que teremos perdas.

Talvez leve um ou dois meses, quem sabe um pouco mais, para que o comércio e as demais empresas voltem a abrir suas portas. Mas a retomada não será automática. É bem provável que nenhum de nós seja mais o mesmo de antes da pandemia.

Nem digo que seremos melhores. Mas seremos mais atentos aos acontecimentos do mundo e cuidadosos com as coisas que nos fazem bem. Seguramente iremos valorizar muito mais aquilo que nos foi tirado durante este período: a liberdade e o convívio coletivo.

Cada um de nós terá guardado dentro de si lembranças dessa época que, segundo os historiadores, só pode ser comparada a tempos em que o mundo esteve em guerra. Desta vez, a batalha é contra algo invisível, sorrateiro e que ainda sequer conseguimos descobrir como derrotá-lo.

Fomos surpreendidos. Toda a humanidade. O planeta inteiro. E percebemos que ter criado fronteiras, acumulado fortunas ou ter pisado na Lua não nos fez imunes a algo tão pequeno que é incapaz de ser visto a olho nu.

Depois do susto, vamos sobreviver. Claro que vamos. Mais fortes, mais humanos, mais sábios.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.