EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

23 de Outubro de 2019

Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito e líder do Patriota na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

Um mundo novo, com idade mais avançada

Segundo dados, número de pessoas com mais de 65 anos cresce em ritmo acelerado no país

Segundo relatório da ONU divulgado na última segunda-feira (17), as faixas etárias do planeta estão mudando. E isso será uma constante até 2100.

O número de pessoas com mais de 65 anos cresce em ritmo acelerado. Até 2050, uma a cada seis pessoas (16,7%) terá idade igual ou superior a 65 anos. Atualmente, essa taxa é de um idoso para cada 11 não idosos (9%). A América Latina está incluída entre as regiões onde isso irá acontecer com mais intensidade.

Atualmente, e pela primeira vez na história, temos mais pessoas com idade superior a 65 anos do que crianças com menos de 5 anos.

E principalmente por conta das descobertas e avanços da Medicina, estima-se que o número de pessoas com 80 anos em nosso planeta triplique até 2050.

Não apenas por motivos biológicos, nossa região já tem algumas características que demonstram essa tendência. Por estarmos próximos à Grande São Paulo e à região do ABC - grandes populações -, somos uma excelente opção para quem se aposenta, principalmente pelas praias, qualidade de vida e clima agradável.

Já tendo percebido isso, algumas das cidades da Baixada Santista têm programas específicos para esse público, com entretenimento, lazer e esporte. Mas, entendo que isso ainda é muito pouco diante do cenário que se desenha para o futuro breve.

Problemas de acessibilidade e transporte, além do aumento e melhoria nas opções de cultura, lazer e diversão, com expansão para todas as cidades da Baixada Santista e Vale do Ribeira, deverão ser discutidas junto ao Governo do Estado de São Paulo, para que possamos estar preparados para essa nova realidade.

É inevitável, imprescindível e uma questão de respeito.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.