EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

22 de Outubro de 2019

Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito e líder do Patriota na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

O direito de ir e vir

Por mais que tenham trabalhado em busca de soluções, pouco se viu de avanço na questão de mobilidade entre as cidades da Baixada Santista

Por mais que tenham trabalhado em busca de soluções, pouco se viu de avanço na questão de mobilidade entre as cidades da região. O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) continua sendo uma exclusividade do santista, enquanto se discute que sistema deve ser adotado nas demais cidades.

A população dos municípios de Peruíbe, Mongaguá e Itanhaém sofrem com esse isolamento, enquanto os habitantes de Cubatão e São Vicente carecem de melhores condições de integração e agilidade no transporte. Isso sem falar naqueles que sofrem diariamente para se locomoverem de Guarujá para as demais cidades separadas por uma faixa de oceano.

Longe de enxergarmos uma saída, é preciso que tenhamos uma visão panorâmica da região, de forma que possamos oferecer uma solução metropolitana para a questão. De nada adianta resolvermos apenas o problema de mobilidade dentro de cada cidade se elas não se integrarem de forma inteligente, com custo baixo e conforto.

A discussão sobre adotarmos o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ou BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus) transformou-se numa desculpa para que nenhuma das opções fosse definida, deixando a população sem ambas.

Um problema antigo, que é a falta de um corredor de ônibus eficiente que ligue Santos a São Vicente, promete melhorar com a Nova Entrada de Santos. Mas será insuficiente para atender toda a demanda. Moradores dos bairros próximos à divisa pela praia ainda enfrentarão por um bom tempo a lentidão causada pelo grande volume de carros, motos e ônibus nos horários de pico.

Como representante dos moradores de todas as cidades, darei início a um estudo para apresentar ao estado soluções simples e eficientes para que possamos ao menos diminuir o sofrimento de quem depende de transporte público para viver. Um exemplo claro foi a regulamentação que sugeri para a fila da balsa, que agora foi integrada ao plano proposto pelo Governo do Estado que deverá assumir as travessias em São Paulo.

Em breve, trarei novidades...

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.