EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

19 de Abril de 2019

Paulo Corrêa Jr

Deputado estadual reeleito e líder do Patriota na Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa Jr. é formado em jornalismo e direito. Têm como bandeiras principais a descentralização do Porto, causas ligadas ao esporte e assistência social. É considerado um deputado metropolitano, pois sua base está espalhada pelas cidades que englobam a Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Norte.

Nova Entrada da Baixada Santista

Ainda que o projeto tenha em seu título o nome 'a cidade de Santos', a obra deverá trazer benefícios e empregos para grande parte da população da região

Depois de muito tempo, discussão e trabalho, a Baixada Santista está recebendo investimentos e atenção compatíveis com sua importância para a solução de problemas com mobilidade e logística.

Com orçamento de R$ 636 milhões, construção de três viadutos e entrega prevista para abril de 2021, a Nova Entrada de Santos contempla mudanças importantes que beneficiarão vários segmentos, desafogando o tráfego de caminhões e carros de passeio, gerando impactos positivos para boa parte da população local.

Os bairros Jardim Piratininga e Jardim São Manoel terão seu acesso melhorado, e os bairros Jardim Casqueiro e Vila dos Pescadores passarão a ser ligados também por uma ciclovia.

O Porto - que clamava por uma mudança logística - terá seu tráfego independente, separado de carros e motos. Assim, turistas e usuários rotineiros do Sistema Anchieta Imigrantes terão sua vida facilitada, já que grande parte dos caminhões que trafegam por essas vias tem como destino os terminais de carga.

Tal mudança sugere um novo panorama para as nossas cidades, que poderão tornar-se atraentes para empresas que buscam áreas para implantação de novas plantas e centros de distribuição. Com isso, vagas de emprego deverão surgir de forma a alavancar o comércio e a prestação de serviços, há tempos estagnados.

Com esse cenário promissor, caberá às prefeituras um estudo para viabilizar oportunidades, tornando-se atraentes. E a boa parte da população, uma melhor qualificação de mão de obra, para que as vagas que venham a surgir sejam preenchidas sem a invasão de profissionais de outras regiões. Vem, 2021.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.