EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

14 de Outubro de 2019

Kenny Mendes

É deputado estadual (Progressistas). Professor universitário há mais de 20 anos, estreou na vida pública em 2013 como vereador em Santos. Foi reeleito em 2016 com a maior votação da história da Câmara Municipal - na ocasião, obteve 24.765 votos.

Segurança não é brincadeira

Não é segredo para ninguém que as condições de trabalho enfrentadas pelos policiais no dia a dia são preocupantes

No início da semana, me reuni com delegados e chefes de seccionais da Polícia Civil da Baixada Santista e Vale do Ribeira para ouvir as necessidades da categoria. Não são poucas. Não é segredo para ninguém que as condições de trabalho enfrentadas pelos policiais no dia a dia são preocupantes. Em meio ao déficit de pessoal, delegacias caindo aos pedaços, falta de equipamentos básicos como colete à prova de balas e a sobrecarga de trabalho, esses homens e mulheres honram as forças de segurança pública do Estado apesar de todas as dificuldades.

Reafirmei o compromisso assumido no início do mandato, em março, de encampar a luta pela valorização da nossa Polícia Civil. Na segunda-feira, tive a oportunidade de conversar com o governador João Doria (PSDB) sobre a urgente necessidade de reforma da sede do Deinter 6 (Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior – 6), em Santos, cujas más condições de conservação já passaram do limite tolerável. Ele afirmou que há um projeto básico para a modernização, mas ainda está avaliando a melhor possibilidade para o imóvel. Iremos acompanhar.

A valorização da categoria passa, necessariamente, por melhores salários. Os da Polícia Civil estão defasados há anos. O governador acenou com a possibilidade de encaminhar à Assembleia Legislativa um projeto de reajuste dos vencimentos do efetivo no segundo semestre. Pessoalmente, defendo que a Casa condicione a aprovação de qualquer propositura nesse sentido a um mínimo de 20% de aumento real. 

Em paralelo, continuaremos levando as demandas dos policiais ao Parlamento do Estado. Neste início de legislatura, tive a oportunidade de destinar uma emenda de R$ 100 mil ao Deinter 6 para utilização em melhorias. Foi a primeira vez que um membro da Alesp fez isso. Outras virão. Ainda nesta semana, ajudei a aprovar um projeto de lei (PL) de autoria do deputado estadual Delegado Olim, meu colega de bancada do Progressistas, que autoriza a destinação de bens e valores provenientes da prática der crimes e lavagem de dinheiro integralmente para a Polícia Civil. 

São modestos, mas importantes passos no auxílio prático da atividade dessa valorosa corporação do Estado – e na busca por uma sociedade mais segura.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.