EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

11 de Julho de 2020

Júnior Bozzella

É bacharel em Direito, empresário, deputado federal (PSL/SP), presidente do diretório estadual do PSL no Estado de São Paulo e vice-presidente Nacional do partido.

A saída de Moro expõe a verdadeira face do governo Bolsonaro

País testemunhou série de irregularidades do governo atual

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32). Nesta última semana o que o Brasil assistiu foi muito além da saída do então Ministro da Justiça, ex-juiz Sérgio Moro. O país viu desnudadas uma série de irregularidades que vem ocorrendo no governo Jair Bolsonaro. 

Em sua saída, Moro pontuou linearmente todos os momentos que antecederam a sua chegada ao Ministério da Justiça e explicou as razões que o levaram a pedir demissão. Ao fazer isso o ex-ministro expôs uma face criminosa do governo Bolsonaro, e digo criminosa porque tráfico de influência, falsidade ideológica e interferência nas Investigações da Polícia Federal para proteger aliados - e os seus filhos - e perseguir inimigos são crimes de alta gravidade. 

Ao contrário do que querem acreditar os seguidores da seita Bolsonarista, Moro não traiu ninguém, não traiu seus valores, não traiu o presidente, porque deixou claro que discordava do que estava acontecendo e, principalmente, não traiu o Brasil e o povo Brasileiro. Só um indivíduo com valores deturpados pode condenar a defesa da verdade e acusar aquele que expõe a verdade de traidor.

O que incomoda e desespera Bolsonaro é exatamente o fato de que, diferentemente dos mensaleiros que o presidente acabou de comprar nos acordos que fez com o “centrão”, Sérgio Moro NÃO ESTÁ A VENDA! Assim mesmo, em letras maiúsculas, para que não haja dúvida. 

As acusações de Moro foram gravíssimas e a possibilidade de uma investigação causa calafrios ao presidente, pois o levará ao enfrentamento com um ex-juiz conhecido por usar todos os elementos probatórios possíveis na avaliação de seus réus.

Sérgio Moro conhece as leis. Ele não acusaria se não fosse verdade e se não tivesse como provar. A apresentação das mensagens trocadas com o presidente Jair Bolsonaro na noite da última sexta-feira (24) foi apenas a ponta do Iceberg. As mensagens entre Moro e a deputada Carla Zambelli só ratificam o que afirmou o ex-ministro na coletiva, além de deporem contra a própria deputada e o presidente da república. O conteúdo da conversa deixa explícito que Zambelli tentou mesmo comprar Moro em troca de um cargo, uma prática que vem sendo cada vez mais adotada por este governo, além de evidenciar as intervenções para usar a Polícia Federal para perseguir os desafetos do governo e proteger os aliados. Se alguém tinha alguma dúvida de que o Moro dizia a verdade, essas mensagens deixam claro o motivo pelo qual ele saiu. Agora a reflexão que fazemos é em nome de quem a deputada falava? Quem está por detrás dessa tentativa de suborno?

Isso tem que ser apurado e os culpados punidos. O Supremo Tribunal Federal irá avaliar um pedido da Procuradoria-Geral da República para investigar o caso.

Em meio a uma pandemia que tem matado centenas de pessoas diariamente em todo o país é lamentável que o governo Federal em vez de garantir equilíbrio e governabilidade insista em promover a instabilidade do país, que só agravam ainda mais a crise, e empurram a economia do Brasil para o buraco. 

O ex-juiz Sérgio Moro é o maior símbolo do combate à corrupção deste país. Ele largou os mais de 20 anos de uma carreira brilhante na magistratura acreditando em uma promessa do presidente Jair Bolsonaro que garantiu a Moro que à
frente do Ministério da Justiça ele teria as armas necessárias para ampliar a sua luta contra os criminosos. A tal carta branca prometida nunca existiu, porque ela só teria validade enquanto fosse ao encontro dos interesses de Bolsonaro. 

Moro fez um grande trabalho à frente do Ministério, sendo implacável na luta contra o crime organizado. Seu único equívoco? Ter confiado na promessa de Jair Bolsonaro. A saída de Moro revelou a verdadeira face deste governo, liderado por um presidente que em um ano e meio conseguiu dividir ainda mais o Brasil, rompeu com a sua palavra ignorando a promessa que iria trabalhar para unir o país após a eleição. Contrariou a Constituição e priorizou apenas o seu projeto de reeleição. 

Moro entrou gigante e saiu ainda maior! Esse é o saldo daqueles que fazem a coisa certa. Obrigado Sérgio Moro por agir sempre com ética e dignidade acima de tudo. Parabéns por tudo que fez pelo Brasil. A luta não acabou!

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.