EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

17 de Agosto de 2019

Júnior Bozzella

É bacharel em Direito, empresário, deputado federal (PSL/SP) e membro do diretório nacional do partido. Foi superintendente da Funasa no Estado de São Paulo, vereador na cidade de São Vicente (SP), além de suplente de deputado estadual e candidato a prefeito no município.

Área Continental de São Vicente em alerta

Ponte dos Barreiros é o principal elo entre área continental e a área Insular, e o seu funcionamento impacta diretamente a vida dos cerca de 150 mil moradores

Em maio de 2013, logo que assumimos o mandato como vereador em São Vicente, um dos primeiros trabalhos que apresentei na Câmara foi um requerimento para o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) cobrando informações sobre os laudos técnicos da Ponte A Tribuna e que fossem tomadas providências sobre o estado de degradação em que a estrutura já se apresentava há mais de seis anos. 

O equipamento, também conhecido como Ponte dos Barreiros, é o principal elo de ligação entre área continental e a área Insular, e o seu funcionamento impacta diretamente a vida dos cerca de 150 mil moradores da área continental que precisam fazer esse deslocamento periodicamente. 

Em janeiro deste ano um laudo do IPT já havia apontado a necessidade da realização de uma obra de reestruturação urgente, pois as estruturas da ponte encontram-se completamente corroídas e sucateadas. As colunas de sustentação estão visivelmente comprometidas deixando exposta a armação de ferro embaixo do concreto que deveria dar suporte a estrutura. Nas últimas semanas se esgotou o prazo dado pelo Instituto para o início das obras de restruturação na Ponte A Tribuna e nada havia sido feito. 

Diante disso o Ministério Público (MP) entrou com ação civil pública solicitando a interdição da ponte ou novo laudo que ateste a sua segurança. Parece que, finalmente, agora depois de mais de meia década do nosso alerta sobre os riscos que a estrutura da ponte representa para os milhares de munícipes que transitam por ela diariamente, o governo do Estado resolveu se posicionar em relação ao estado de degradação em que está o equipamento a ao risco que isso representa.

Nesta última semana o Palácio dos Bandeirantes sinalizou positivamente sobre a necessidade de intervenções na Ponte. O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, se manifestou se comprometendo a realizar nos próximos 15 dias um estudo técnico através do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado (IPT) para nortear as ações e o plano de recuperação da ponte. Apesar disso, o secretário não se posicionou sobre quem deverá arcar com o custeio das obras, se Estado ou município. 

A recuperação do equipamento é de grande interesse do governo do Estado, pois impacta diretamente na conclusão da terceira fase de expansão do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para a área continental. 

A ponte, que foi construída pelo Governo de São Paulo e aberta ao tráfego em 1995, precisa de uma reestruturação urgente para continuar em funcionamento sob o risco de deixar “ilhados” os moradores da área continental que, sem o equipamento, precisariam percorrer 32 quilômetros para se deslocar até a Ilha onde se encontram os principais serviços públicos. 

A área continental está em alerta e esperamos que dessa vez os poderes públicos a quem cabe a reestruturação da Ponte dos Barreiros não se esquivem a sua responsabilidade e que, como eu fiz lá atrás, as lideranças políticas da região também façam o seu papel e cobrem para que esse imbróglio seja resolvido e a ponte reestruturada, pelo bem e segurança das milhares de pessoas que fazem o trajeto regularmente. 

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.