EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

22 de Julho de 2019

Eu Estudo Certo

Martha Vergine é delegada de polícia, professora universitária e teacher coach do EU ESTUDO CERTO. Especialista em técnicas de estudo e estratégias emocionais para ajudar pessoas que querem passar mais rápido em provas - como concursos públicos, exame da OAB, vestibulares e ENEM.

Passar no concurso público depende só de você?

Chegou a hora de ser protagonista! Uau!

Já imaginou aquele momento em que a fala é sua, todos escutam atentamente, olham admirados sua desenvoltura e ao final, aplaudem admirados!

Pois é, a vida de uma pessoa protagonista é assim.

E esse cenário não precisa acontecer, necessariamente, em um palco. Ele pode acontecer no seu dia a dia.

Repare. Você deve se lembrar de alguma pessoa, famosa ou não, que quando fala ou faz algo, cativa a atenção de todos. A segurança com que defende seu ponto de vista, seu conhecimento ou, apenas emite uma opinião, é tão arrebatadora que não dá vontade de parar de ouvir ou ver.

Isso pode acontecer em casa, numa roda de amigos, no ambiente profissional, tanto faz. Quem é seguro de si o é em qualquer lugar.

Pode parecer que estou falando de pessoas extrovertidas. Mas não se engane. Estou falando de pessoas seguras. Elas podem sim, serem mais comunicativas, mas também é bem possível serem pessoas introvertidas e totalmente seguras de si.

O primeiro passo para a autoconfiança é acabar, sim, aniquilar qualquer vestígio – caso o tenha – do vitimismo. O ai ai ai, o mimimi, o chororô, aquele “coitadismo” que não leva ninguém a lugar nenhum.

Na primeira infância é compreensível ter esse comportamento. Os pequenos têm muita coisa para descobrir e aprender a lidar, e os contratempos são realmente desafiantes para eles. Mas nós crescemos, ou deveríamos crescer.

Acontece que existem pessoas já na vida adulta (algumas há bastante tempo até) que ainda tem essa mentalidade de querer tudo na mão, de não querer ser contrariada. Como se a “mamãe vida” a devesse alguma coisa sempre. E por isso, se tornam verdadeiros reféns dos eventos. Pautam suas atitudes e humor a mercê do que lhes acontece no mundo exterior.

Quer um exemplo?

No universo dos concursos públicos, o vitimista sempre arranja um culpado para seus resultados ruins. É a concorrência que é muito alta, o governo que demora para abrir os concursos, os cursinhos que cobram um valor absurdo nos cursos preparatórios, a família que não apoia ou o chefe que não lhe permite estudar na hora do trabalho, e por aí seguem os vilões.

De forma nenhuma, a pessoa vitimista verá as inúmeras vezes que não estudou porque cedeu à preguiça; jamais assumirá que é escrava da procrastinação diária de seus compromissos; em hipótese nenhuma concordará que seus resultados ruins são frutos da falta de compromisso consigo mesma e de seu medo em assumir a responsabilidade por seus atos.

Agora você (é quem me interessa na verdade) ao analisar sua vida profissional e pessoal como está hoje?

Você consegue identificar como o seu pensamento criou seu próprio mundo? Em alguns momentos se deixou levar pelo comportamento vitimista?

Tem algo que te incomoda e que você poderia (ou deveria) mudar?

Pense a respeito.

Você sabia que Aristóteles concluiu que o objetivo final de toda ação humana é alcançar a felicidade pessoal. O que quer que você faça, disse ele, tem a finalidade de aumentar sua felicidade de alguma maneira.

Tudo o que fazemos faz parte dessa busca para ser feliz!

Então, está mais do que na hora de exercer o protagonismo na sua história e viver com intensidade seus dias. Esse é o seu palco!

Assuma o compromisso pessoal de pagar o preço necessário para mudar o que precisa mudar. Vamos organizar a vida diária para dedicar espaços de tempo para construir um futuro melhor.

Que tal começar abandonando maus hábitos? Para isso é preciso saber quais são.

Avalie e liste os pontos a serem trabalhados.

Atente-se, eu disse “pontos a serem trabalhados”. Por óbvio são alguns detalhes que merecem a nossa atenção. Não temos que mudar tudo ou fazer uma mudança tão radical na vida (como pode pensar as mais dramáticas) para ser feliz.

Com certeza sua história de vida traz muitas vitórias, conquistas e pontos positivos (e sobre seus pontos fortes falaremos em breve, pois eles são ótimos para nos ajudar a chegar lá mais rápido).

E a resposta para a pergunta título desse texto? Sim, só depende de você estudar até passar! 

Agora mãos à obra. O show tem que continuar!

Te espero nas minhas redes sociais.

 

INSTAGRAM @euestudocerto

FACEBOOK @euestudocerto

YOUTUBE /blogeuestudo

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.