EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

9 de Dezembro de 2019

Eu Estudo Certo

Martha Vergine é delegada de polícia, professora universitária e teacher coach do EU ESTUDO CERTO. Especialista em técnicas de estudo e estratégias emocionais para ajudar pessoas que querem passar mais rápido em provas - como concursos públicos, exame da OAB, vestibulares e ENEM.

O que fazer quando você está desmotivado?

Cansado das reprovações?

Um dos maiores problemas, se não o maior de todos, de alguém que visa à aprovação em provas públicas – concursos públicos, prova da OAB etc. – é a desmotivação que enfrentamos no meio do percurso.

É fato: raros são os casos onde nos propomos a realizar uma prova concorrida e, de fato, passamos na primeira tentativa. A reprovação faz parte da vida de um concurseiro que deseja algo grande, e faz parte lidarmos com essas falhas.

Assim sendo, se a chance de nos depararmos com um breve fracasso é grande, como faremos para não nos deixar abater pela ideia de “nunca conseguir chegar lá”?

Não é tarefa fácil.

São esses os nossos momentos mais frágeis, quando, porque não conseguimos a aprovação, achamos que não somos capazes nem sequer merecedores de tal vaga.

A motivação para perseverar nesse momento perpassa boa parte de tudo que viemos falando antes: você precisa manter o foco e seguir estudando, você precisa manter seu objetivo sempre na sua frente olhando para você, face a face.

Lembra do exemplo do pai que salva o filho quando falamos de focar no objetivo? Bom, é fácil perceber que não importava o quão desmotivado o pai nesse exemplo estava, ele agiria e faria o que pudesse pelo seu filho.

É nesse ritmo que você deve seguir; as frustrações – gravem bem isso – são transitórias, elas não ficarão por muito tempo lá. Elas apenas permanecem lá se vocês as transformarem em algo permanente.

“Entendi, Martha. Mas como eu faço para deixar esse desânimo algo passageiro e não transformar esse negócio em um sentimento permanente?”

A resposta é simples, mas colocá-la em prática pode ser desafiante, mas que te dignificará. Para não transformar o desânimo passageiro da falha em algo permanente que te perseguirá por boa parte da vida, você nunca, repetirei para ficar bem claro, você nunca, jamais, deve desistir.

Viu só? Simples, mas pô-la em prática não é tão simples quanto gostaríamos.

Se você desistir, o fracasso que era temporário se tornará em algo permanente; o pequeno tropeço se tornará a queda no abismo.

Pode não ser fácil e pode até dar algum medo das falhas, mas convenhamos: saber que toda e qualquer falha não passa de um tropeço, contanto que você nunca desista,  é algo reconfortante, pois você sabe que uma hora conseguirá.

Então, no fim das contas, você apenas precisa lembrar do seguinte: o motivo pelo qual você está fazendo tudo isso e que todas as falhas serão transitórias, sempre.

Nunca desista. Pode parecer clichê, mas é uma verdade lapidada em pedra.

 

INSTAGRAM @euestudocerto

FACEBOOK @euestudocerto

YOUTUBE /blogeuestudo

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.