EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

18 de Novembro de 2019

Editorial A Tribuna

A Tribuna é o maior e mais antigo jornal impresso a circular na Baixada Santista. São 125 anos contando e publicando histórias

Queda de turistas

A importância econômica do turismo é notável. O Brasil tem plenas condições de ampliar as receitas advindas dessa atividade

A entrada de turistas estrangeiros no Brasil teve queda de 5,4% no primeiro semestre deste ano, quando comparada com igual período de 2018. Embora boa parte desse efeito possa ser atribuída à redução de visitantes da Argentina, país que enfrenta grave crise política e econômica, o número merece atenção das autoridades nacionais. Destaque-se que, neste ano, houve a isenção de vistos para turistas da Austrália, Canadá, Estados Unidos e Japão, além da abertura do mercado para companhias aéreas de baixo custo.

Pode-se argumentar, com certa razão, que os efeitos dessas medidas exigem tempo para apresentar resultados. Mas há uma certeza: o turismo no Brasil não atrai a atenção internacional, ficando muito aquém de suas potencialidades. A análise dos dados dos últimos anos revela que houve evolução no movimento de visitantes: entre 2006 e 2010, a média de entrada foi de 5,01 milhões de pessoas por ano, número que subiu no triênio seguinte (2011-2013) para 5,64 milhões, e alcançou um patamar significativamente maior entre 2014 e 2018 (média de 6,51 milhões).

Pesaram nesse avanço a realização da Copa do Mundo em 2014 e dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016, mas é importante notar que nos dois anos posteriores (2017 e 2018) o fluxo manteve-se estável, praticamente no mesmo patamar de 2016. Neste ano, porém, houve queda no período de verão (janeiro a março), quando comparada com 2018, com aumento em abril e junho, sendo neste último mês devido ao impacto da realização da Copa América no País.

A importância econômica do turismo é notável. O Brasil tem plenas condições de ampliar as receitas advindas dessa atividade, e não é exagero algum a meta da Embratur de dobrar a chegada de turistas estrangeiros no País, que chegaria assim a 12 milhões de pessoas ao ano. Não faltam atrativos naturais – a beleza das praias, a região Amazônica, o Pantanal, e muitos parques em várias regiões – além de aspectos históricos e culturais que, bem trabalhados e explorados, podem representar polos de interesse internacional.

Promover o Brasil no exterior é tarefa fundamental. A Embratur planeja lançar um reality show que selecione estrangeiros para viajar pelo Brasil por 30 dias, além de promoção do turismo nacional por meio de influenciadores nas redes sociais. Tudo isso é necessário e positivo, mas é preciso assegurar a necessária infraestrutura turística: aeroportos, recepção profissional, hotéis e restaurantes com pessoal treinado e qualificado. 

E é preciso, de maneira especial, cuidar da imagem do País no exterior. Ninguém escolherá como seu destino de viagem um local marcado pela violência e insegurança, e que é motivo de preocupação a preservação ambiental, na medida em que o meio ambiente é o principal fator de atração de turistas estrangeiros. 

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.