Direito Previdenciário

Sergio Pardal Freudenthal é advogado e professor universitário, especialista em Direito Previdenciário, atua há mais de três décadas em Sindicatos de Trabalhadores na Baixada Santista.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Vacina e Auxílio-Emergencial!

Voltamos a repetir, mesmo que sejam incontáveis vezes: a resposta à pandemia passa pela Saúde Pública e pela Assistência Social

No último dia do ano passado, repetimos incansavelmente que a resposta à pandemia, em qualquer país desse mundo, passa pela Saúde Pública e pela Assistência Social. O atendimento hospitalar heroico ficará na história, e a vacina – com um plano nacional que alcance pelo menos 70% dos cidadãos – é a luz no fim do túnel. E, mesmo com a população passando por muitas dificuldades, o Auxílio-Emergencial, inteiro ou pela metade, impediu o absoluto caos social a que a miséria nos conduziria.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Ocorre que o nosso atual desgoverno, fascista e genocida, continua apostando na barbárie, trabalha contra a vacinação e nega a continuidade do Auxílio-Emergencial. Naquela grande república de bananas que fica na América do Norte, ainda sob a direção do ídolo do nosso idiota, a vacinação começou a todo vapor, e discutem se o auxílio-emergencial deles deve ser de 600 ou de 2.000 dólares. Qualquer estudante de economia, desde o primeiro ano, sabe que para revigorar as condições econômicas de um país é preciso dar cobertura aos hipossuficientes e aos pequenos. É necessário socorrer aos pequenos comércios e indústrias, e garantir um mínimo de dignidade para a população mais necessitada. É urgente recolocar em atividade o mercado de consumo, circular o dinheiro, e, para isso, a distribuição deve ser para quem mais precisa.

Passamos de 200 mil mortos e a depressão econômica que se anuncia vai matar muito mais gente. Nos EUA, a invasão do parlamento por fascistas e vândalos, sob o comando de Trump, poderá ser suficiente para a sua cassação. O nosso imbecil de plantão já deu motivos suficientes, mas a ameaça de agir igual quando perder sua tentativa de reeleição, já é demais.

A defesa do Estado Democrático de Direito é bandeira mundial, com as últimas ocorrências obrigando todos a abraçarem o antifascismo. Aqui no Brasil, a obrigação de todos os democratas é garantir com urgência a vacina contra Covid para todos e a manutenção do Auxílio-Emergencial, desde esse mês de janeiro e até atingir um percentual na vacinação nacional que permita efetivamente o retorno de todas as atividades.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.