Dad Squarisi

Dad Squarisi fez curso de letras na UnB. Tem especialização em linguística e mestrado em teoria da literatura. É editora de Opinião do Correio Braziliense e comentarista da TV Brasília.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Auê no Twitter

O texto trazia uma diquinha de português – a diferença entre acento e assento. A pronúncia é a mesma, mas a grafia não se conhece nem de elevador

Recado

“A leitura torna o homem completo, a conversação torna-o ágil, o escrever dá-lhe precisão.”
Sir Francis Bacon

Post publicado no Twitter gerou um senhor auê. Comentários e sugestões fizeram a festa. Foram tão interessantes que inspiraram a coluna. O texto trazia uma diquinha de português – a diferença entre acento e assento. A pronúncia é a mesma, mas a grafia não se conhece nem de elevador. Com c, a palavra significa sinal gráfico. No caso, o circunflexo. Com ss, o lugar para sentar-se.

A diquinha

“Ônibus tem um acento e vários assentos.”

Para acertar sempre, pintaram duas sugestões:

  1. Acento tem seis letras; assento, sete.
  2. Em sentar aparece o s. Daí por que a letra estar presente em assento.

Piada

Um leitor se lembrou de piada que aprendeu em tempos idos e vividos:

Chovia muito. Um homem entrou no ônibus. Como era o único passageiro, escolheu um lugar para sentar-se – justamente sob uma goteira. O cobrador perguntou:

– Por que o senhor não troca de lugar?

A resposta:

– Trocar com quem?

O cobrador pensou com seus botões: talvez, em vez de trocar, devesse usar mudar. Mas era tarde. O passageiro se preparava para descer.

De frente pra trás, de trás pra frente

Ops! Sem acento, a frase pode ser lida de frente pra trás e de trás pra frente. Trata-se de palíndromo. Palavras, frases ou números lidos da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda ficam iguaizinhos.

O time dos bivalentes é privilegiado. Só eleitos fazem parte da equipe. É o caso de 11, 1001, 202, Ana, Dad, Irene ri, Amor a Roma, Tucano na Cut, Subi no ônibus.

Parece, mas não é 

Avião da Air India, com 190 pessoas a bordo, saiu de Dubai rumo a Calecute. Repatriava indianos presos nos Emirados por causa da pandemia. Ao pousar, derrapou, ultrapassou a pista e se partiu em duas partes. O noticiário falou em "partir-se ao meio". Vamos combinar? Duas partes não significa ao meio. A propriedade vocabular contribui pra informação precisa.

Dose dupla

O lobo-guará andava sossegado pelo cerrado. Sem querer, virou celebridade. O Banco Central anunciou que ele figuraria na nota de R$ 200,00. Notícias fizeram a festa. Numas e noutras, o nome aparece no plural. É aí que pinta a dúvida: lobos-guará ou lobos-guarás?

Lobo-guará joga no time dos compostos por dois substantivos. É o caso de força-tarefa, vale-transporte, vale-refeição, pombo-correio, salário-família, caneta-tinteiro, papel-moeda. No caso, se o segundo der ideia de finalidade, semelhança ou limitar o primeiro, impera a dose dupla – flexiona-se o primeiro ou os dois: lobos-guará e lobos-guarás, forças-tarefa e forças-tarefas, vales-refeição e vales-refeições, pombos-correio e pombos-correios, salários-família e salários-famílias, canetas-tinteiro e canetas-tinteiros, papéis-moeda e papéis-moedas.

Mais exemplos

Caneta-tinteiro (canetas-tinteiro, canetas-tinteiros), café-concerto (cafés-concerto, cafés-concertos), peixe-espada (peixes-espada, peixes-espadas), carro-bomba (carros-bomba, carros-bombas), postos-chave (postos-chave, postos-chaves), país-símbolo (países-símbolo, países-símbolos), decreto-lei (decretos-lei, decretos-leis), homem-rã (homens-rã, homens-rãs).

Leitor pergunta

Confundo mas e mais. Pode me dar uma dica pra acertar sempre?
Beto Saraiva, Boa Vista (RR)

Mais é o contrário de menos: Trabalho mais (menos) que ele. Se pudesse, comeria mais (menos). Maria é mais (menos) tolerante que Paulo.

Mas quer dizer porém, todavia, contudo, no entanto: Estudei muito, mas (porém) tirei nota baixa.

Superdica: mais soma. Por isso tem mais letras que mas.
 

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.