EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

16 de Novembro de 2019

Cida Coelho

É fonoaudióloga formada pela PUCSP, especialista em Voz com larga experiência na preparação de repórteres e apresentadores de televisão. Atua como consultora em Comunicação Humana ministrando palestras e treinamentos individuais para profissionais liberais, empresários, políticos, atletas profissionais, executivos e equipes de liderança. É palestrante de Media Training para porta-vozes de empresas e atua como consultora da TV Tribuna, afiliada da Rede Globo em Santos, desde 1995. Acumulando os títulos de mestre e doutora, Cida também foi professora universitária durante 25 anos.

Quatro dicas para compartilhar conhecimento

Ter uma boa comunicação potencializa todas as nossas outras competências

Até bem pouco tempo atrás, ter conhecimentos técnicos atualizados era suficiente para ser um profissional bem sucedido. Médicos, engenheiros, dentistas... Bastava ter cursado uma boa faculdade,  manter-se atualizado com cursos de pós-graduação e preservar como um bem precioso, todas as informações técnicas adquiridas. O prestigio era apenas uma questão de tempo, e dependia muito pouco de aspectos pessoais do profissional.

Hoje a informação se socializou. O acesso a tecnologia de ponta além de rápido e fácil é disponível a todos. Aos profissionais e aos clientes. Ter a posse do conhecimento não garante o sucesso profissional.  O que faz a diferença é a agilidade com que processamos todo esse conhecimento e, sobretudo a forma como expressamos/apresentamos  o nosso ponto de vista a respeito desse conhecimento disponível.

No caso de  profissionais que lidam diretamente com clientes, o momento inicial  passa a ter um valor enorme. É nesse momento que se pode construir uma imagem pessoal e profissional positiva, que se pode transmitir credibilidade e estabelecer uma relação de confiança. Em outras palavras, é nesse momento que temos que ter habilidade comunicativa para apresentar a nossa proposta de abordagem e mostrar ao cliente que ele fez a melhor escolha.

Nesse sentido a comunicação humana, ferramenta tão antiga e tão importante, torna-se fundamental.  Uma comunicação eficiente permite mudar o pensamento e o comportamento do nosso cliente. Algumas regrinhas simples podem auxiliá-lo nesse momento:

Olhe nos olhos do seu interlocutor enquanto fala: Isso favorece a abertura de outros canais comunicativos, pois transmite segurança e facilita a empatia.

Cuide do tom de voz: Encontrar a sintonia ideal de voz é a chave para tocarmos nossos clientes. E esse “toque” deve ser firme, mas não invasivo. Fique atento, pois alguns tipos de vozes podem ter um impacto positivo e outros,  negativo. Vozes graves, por exemplo, costumam transmitir seriedade, compromisso, conhecimento e segurança. Já as vozes agudas são comumente relacionadas a infantilidade, imaturidade e despreparo. Vozes muito fortes podem intimidar o cliente, mas vozes fracas demais podem transmitir insegurança. Falar lento demais pode gerar desinteresse e falar rápido demais pode transmitir excessiva ansiedade. Procure ouvir-se de maneira criteriosa, avalie o impacto que sua voz tem causado em seus interlocutores e encontre o tom que lhe parece o mais confortavel e natural.

Lembre-se de  articular bem as palavras: A dicção tende a ficar mais travada sob stress ou ansiedade. Isso pode impactar negativamente. Antes de falar, abra e feche a boca vigorosamente, procurando alongar bem a musculatura labial e facial. Faça movimentos rotatórios com a língua em volta dos dentes, de modo a alongar tambem os grupos musculares da língua. Quando começar a falar, lembre-se que para que as palavras possam se projetar para o ambiente, é preciso que a boca libere espaço para que isso aconteça. Portanto, aproveite a movimentação naturalmente necessária para a produção de cada som da fala, para abrir espaço para que suas palavras saiam de sua boca bem articuladas.

Simplifique tudo o que puder: Planeje sua fala, escolha um recado principal e não divague. Assim como em outras áreas da vida, na comunicação, menos é mais. Selecione no  máximo 3 argumentos para  demonstrar a relevância do seu assunto... Ainda que tenha outras informações importantes, guarde-as para uma outra oportunidade. Fica mais fácil enxergar a relevância quando não há muito ruído de comunicação.

E lembre-se: o dom natural e inato da comunicação é privilegio de poucos. A grande maioria dos bons comunicadores precisou se expor, se exercitar e treinar muito, até atingir um padrão de comunicação eficiente. Isso requer esforço e dedicação, mas os resultados compensam! Afinal, ter uma boa comunicação potencializa todas as nossas outras competências. Boa sorte!

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.