Caio França

Tem 32 anos e foi reeleito deputado estadual com 162.166 votos. É advogado formado pela Universidade Católica de Santos. Foi o vereador mais votado da história de São Vicente. É presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e coordenador da Frente Parlamentar de Apoio a Baixada Santista e Vale do Ribeira.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Um salve à democracia!

Se o ano de 2020 foi atípico sob diversos ângulos e aspectos, com o processo eleitoral não seria diferente

No último domingo exercemos o dever cívico do voto em uma eleição diferente de todas as outras realizadas até hoje. Se o ano de 2020 foi atípico sob diversos ângulos e aspectos, com o processo eleitoral não seria diferente. A mudança no calendário com a postergação das datas do 1º e 2º turnos foi apenas a primeira das alterações de um pleito municipal extremamente complexo e tortuoso.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

Em seguida viria a dificuldade dos candidatos em fazer campanha eleitoral, em especial os estreantes, num momento em que se prega o distanciamento social, em plena pandemia. No entanto, superados os desafios desse processo eleitoral, que vai entrar para a história da humanidade, hoje quero me debruçar sobre o pós-eleição.

Em primeiro lugar, quero destacar que o desejo da urna é soberano e deve ser respeitado em qualquer circunstância; e que passado o período eleitoral, as diferenças partidárias devem ser superadas pelo bem da população, já que precisamos ter consciência da enorme responsabilidade que temos pela frente.

O governo estadual postergou novamente a quarentena até o dia 16 de dezembro e estamos na iminência da chegada de um novo surto da Covid-19, a chamada segunda onda que já se disseminou na Europa. Por outro lado, ainda não está claro quando, de fato, teremos acesso às vacinas, independentemente de sua origem, visando a imunização em massa da população.

A “fadiga pandêmica”, fenômeno classificado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o estopim para um novo aumento no número de contaminações e internações, pode representar um retrocesso imenso em meio aos avanços conquistados ao longo dos últimos oito meses. A flexibilização, possibilitada pela fase verde do Plano São Paulo, que ampliou a nossa liberdade de movimento, não deve ser justificativa para os excessos que a população vem apresentando.

 Com exceção dos prefeitos que foram reeleitos e dos candidatos que vão disputar o segundo turno das eleições, a transição entre governos deve ter início imediato e se pautar pela transparência e acesso aos relatórios da atual situação administrativa municipal, em todas as áreas, como determina a Constituição Estadual. De posse de todas as informações, a equipe de transição deve iniciar o planejamento de seus projetos e plano de governo.

Já o papel das Câmaras Municipais, por meio dos vereadores eleitos, de propor projetos de interesse público e fiscalizar os atos da administração municipal, com cobrança de metas e resultados, deve ser permanente. 

O ano de 2021 continuará sendo desafiador do ponto de vista econômico. Equilibrar as finanças em alguns municípios, recuperar a economia e promover a geração de empregos e renda são as principais metas a serem superadas pelos gestores públicos. 

Desejo muita sorte aos reeleitos e aos novos sucessores e que cada um possa exercer a função que lhe compete e para a qual foi eleito com trabalho, empenho e dedicação. O sucesso é uma consequência. Como deputado estadual, quero colocar o meu mandato à disposição dos municípios paulistas para que São Paulo possa acelerar o seu processo de retomada econômica e de desenvolvimento. Contem com o nosso mandato na Alesp!

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.