EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

19 de Outubro de 2019

Ângela Cotrofe

É neuropsicopedagoga.

A contribuição da neurociência

A neurociência sempre esteve de mãos dadas com os problemas de aprendizagem, esclarecendo diversos tipos de dificuldades relacionadas a desordens neurológicas

A neurociência sempre esteve de mãos dadas com os problemas de aprendizagem contribuindo para esclarecer os diversos tipos de dificuldades que estão relacionadas a desordens neurológicas, seja para oferecer caminhos para auxiliar o entendimento dos temas que mostram como deverá ser a escolha dos métodos de ensino e a assimilação dos conteúdos e técnicas ensinadas aos aprendizes. Os princípios da Psicologia do Desenvolvimento, da Neurociência, Fisiologia, Psicopedagogia e da Anatomia, agregam-se aos conhecimentos de diferentes áreas relacionadas a processo neuropsicofisiológico do homem, para facilitar tanto o ensino quanto a aprendizagem.

Isso resulta na aproximação de alunos e professores, terapeutas e pacientes, todos os companheiros no mesmo processo.

Compreender as dificuldades de aprendizagem à luz da visão psicopedagógica da Neurociência pode permitir o planejamento de estratégias de ensino-aprendizagem ao interagirem todos de uma forma nova e abrangente, envolvendo sistemas e, potencializando resultados.

O desenvolvimento de competências tem sido o caminho apontado para a mudança que se faz necessária para que o aprendiz seja sujeito de sua aprendizagem. As competências são as funções cognitivas utilizadas para estabelecer relações com o ambiente e levar o desenvolvimento das habilidades de pensar, decidir ou saber fazer, possibilitando ampliar suas competências.

Os aspectos da aprendizagem com objetivo de estudo dos processos neurais são as diversas formas de ensino que envolvem não somente os circuitos neurais diferentes, como mecanismos fundamentais para compreensão dos mesmos.

O cérebro humano é um sistema complexo, que estabelece relações com o mundo que o rodeia por fatores significativos que permitem determinar áreas motoras, sensoriais, auditivas, ópticas, olfativas e outras, estabelecendo noções exatas e ricas no aprendizado.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.