Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Jovem de Cubatão confunde gravidez com gastrite e fica chocada ao descobrir que esperava bebê

Ana Paola, de 29 anos, passou a gravidez inteira procurando médicos para tratar uma suposta gastrite.

Uma mulher de Cubatão levou um grande susto no último sábado (3). Ana Paola Souza, de 29 anos, tomava anticoncepcionais há oito anos e, nos últimos meses, imaginou que estava passando por crises de gastrite quando, na verdade, estava grávida. Ela só soube da 'notícia' na hora do nascimento da pequena Manu.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas!

A bebê, totalmente saudável, nasceu com 3 quilos e 49 centímetros. A jovem, porém, tomou anticoncepcional, sem pausa, até o dia 2 de Abril. "A Manu queria vir ao mundo de surpresa. Eu reclamava o tempo todo de gastrite. Ela é um doce de menina e já nasceu super amada por todos", conta a mamãe de primeira viagem.

Os sintomas da 'gastrite' começaram no ano passado, quando ela passou a sentir azia e não conseguia tomar café. Ela chegou a procurar um médico mas, mesmo assim, a gravidez não foi constatada. Por conta da pandemia, ela teve dificuldades para buscar um especialista e, por isso, acabou deixando o tempo passar. "Sete meses depois eu comecei a engordar, mas não tinha barriga de grávida, apenas estômago inchado. Não teve nem um chute", diz.

No dia 1º de Abril, Ana acordou com muita cólica e com a barriga enrijecida. Foi aí que ela descobriu que estava em trabalho de parto. Ela e o namorado compraram um teste de gravidez que acabou dando positivo. Em seguida, ela foi encaminhada para a emergência, onde foi internada para o nascimento da criança.

"Não deu tempo nem de saber o sexo antes do parto. Nasceu uma menina perfeita. Enquanto a médica retirava a placenta, meu namorado pesquisava o significado do nome Manuelly. Foi inesperado, sem planejamento, mas foi o nosso melhor presente. Ela nasceu saudável mesmo comigo tomando remédios para gastrite, azia e até gardenal por conta de crises compulsivas", finaliza.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.