EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

18 de Julho de 2019

Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto e é comentarista da TRI FM.

Jogador de futsal pisa na cabeça de rival durante jogo em Santos; vídeo

Jogo válido pela Copa Aberta terminou em confusão no Ginásio do Rebouças

Um jogo de futsal, válido pela Copa Aberta, terminou em confusão no Ginásio do Rebouças, em Santos. Duas equipes da categoria Sub-16, O Grande Lance, de Santos, e Cruzeiro, de Guarujá, se enfrentavam quando um atleta da equipe guarujaense agrediu um rival.

No vídeo, obtido por ATribuna.com.br, é possível ver quando um defensor da equipe de Guarujá sai do próprio campo em direção ao atleta rival. Em um primeiro momento, ele dá uma rasteira no jogador e, em seguida, pisa com força no rosto do garoto, que precisa ser retirado por uma ambulância do SAMU.

Jogador de futsal é detido após pisar na cabeça de rival (Foto: Reprodução)

A Polícia Militar foi acionada e levou o menor para a delegacia, onde foi registrado um boletim de ocorrência. A Liga Regional de Futsal afirmou, também, que o atleta está banido permanentemente das competições. Já a vítima passou a noite no hospital e acabou sendo liberada no dia seguinte.

O vídeo, por si só, é um horror. Uma competição entre adolescentes, possíveis futuros atletas e seres-humanos em formação, ser interrompida por uma agressão desse nível. Pela força do golpe, o jogador santista acabou tendo sorte de não ficar com sequelas ou até algo pior.

Mais do que compartilhar essas imagens, que já viralizaram nas redes sociais, é necessário que pais e responsáveis conversem com seus filhos e orientem. Não existe nenhuma justificativa plausível para que, em um ambiente de competição, onde todos lutam pelo mesmo objetivo, um atleta agrida um adversário.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.