Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Idosa de 87 anos recebe vacina 'fake' contra a Covid aplicada por estagiário em Praia Grande

Após ser 'alertado' de que não havia aplicado a vacina, profissional fez a imunização de forma correta

Uma idosa de 87 anos foi enganada em Praia Grande, no litoral de São Paulo, ao acreditar de que estava sendo vacinada contra a Covid-19. As imagens obtidas por A Tribuna mostram que o profissional de saúde enfia a agulha no braço da aposentada e não injeta a dose do imunizante. A Prefeitura investiga o caso. Já a idosa foi imunizada, de forma correta, logo em seguida.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A história foi revelada pela repórter Juliana Steil, do G1, e as imagens foram gravadas pela filha da aposentada. O que mais surpreende, porém, é o fato do aplicador ainda questionar se 'havia doído', mesmo reparando que a substância não havia sido injetada no corpo da mulher.

A falsa vacinação ocorreu na unidade de saúde Conviver Caiçara na última sexta-feira (12). A própria idosa, notando a 'rapidez' na aplicação, questionou a velocidade. O homem foi alertado pela filha da mulher de que a vacina não havia sido aplicada corretamente. Em seguida, o rapaz pediu o outro braço da idosa e aplicou o imunizante.

Por meio de nota, a Prefeitura de Praia Grande informou que o caso 'tratou-se de um acontecimento não raro na aplicação de substâncias injetáveis' e que o profissional é um aluno de enfermagem conveniado ao município. O caso, porém, será investigado. Confira, a seguir, o relato da prefeitura:

"Na hora de introduzir a vacina, [ele] percebeu que a agulha estava entupida, o que pode acontecer em qualquer procedimento injetável. De imediato, comunicou ao seu professor e profissional responsável, e trocou o material por uma nova seringa e realizou a aplicação em outro local, uma vez que o primeiro braço já havia recebido uma picada", disse a prefeitura em nota.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.