EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

29 de Março de 2020

Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto e é comentarista da TRI FM.

Golpe no WhatsApp faz milhares de vítimas prometendo 'Auxílio Coronavírus' de R$ 200

Mensagem diz que Governo Federal iniciou cadastramento do Auxílio Cidadão e que daria uma ajuda mensal para trabalhadores autônomos e pessoas de baixa renda

Milhões de brasileiros estão sendo impactados, nas últimas horas, por mensagens, principalmente via WhatsApp, que garantem que o usuário tem direito a receber um 'Auxílio Coronavírus'. Com o crescente interesse pelo assunto e, principalmente, o descontrole total dos casos registrados no Brasil, muita gente acaba caindo no mais novo golpe da internet brasileira. No vídeo acima, você entende em detalhes o que realmente está acontecendo.

Clique aqui e receba todos os vídeos produzidos pela nossa equipe!

A mensagem que tem chegado no celular das pessoas é a seguinte: "O Governo Federal iniciou o cadastramento do Auxílio Cidadão que dá uma ajuda mensal no valor de R$ 200 para trabalhadores autônomos e pessoas de baixa renda para ajudar a combater o Coronavírus. Confira se você tem direito ao benefício". Como o assunto realmente entrou em pauta, muita gente acaba sendo enganada e perdendo dinheiro.

De acordo com um levantamento do 'DFNDR LAB', mais de 42 milhões de brasileiros já receberam ou acessaram notícias falsas referentes à Covid-19. Deste número, 43,2% tiveram acesso a esses conteúdos via WhatsApp. Por isso, é extremamente importante evitar clicar em links aleatórios que são enviados por números desconhecidos. Um simples link pode capturar suas senhas pessoais.

Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.