EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

4 de Junho de 2020

Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto e é comentarista da TRI FM.

Fenômeno deixa o mar 'azul fluorescente' e encanta moradores da Austrália

Situação idêntica já ocorreu no litoral de São Paulo e foi registrada por centenas de moradores.

Um raríssimo fenômeno da natureza vem encantando moradores da Austrália nas últimas horas. Apesar de ser conhecido como 'Maré Vermelha', o espetáculo, causado por minúsculo fitoplânctos agrupados e agitados, deixa o mar em um tom de azul metálico fluorescente. Apesar de não ser comum, essa situação já ocorreu algumas vezes no litoral de São Paulo. No vídeo acima a gente mostra exatamente o que aconteceu!

Clique aqui, se inscreva no canal e receba outros vídeos curiosos!

Muitos moradores de Santos fizeram vídeos e fotos desse mesmo fenômeno em 2016. Na época, várias praias da cidade ficaram iluminadas e absolutamente ninguém, tirando biólogos e especialistas, entenderam o que estava acontecendo. Apesar de ser belo, o fenômeno é perigoso e é recomendado que as pessoas não entrem em contato com a água enquanto ela estiver dessa forma.

Raríssimo fenômeno da natureza vem encantando moradores da Austrália nas últimas horas (Foto: Divulgação)

De acordo com especialistas, muitas pessoas comparam a beleza da 'Maré Vermelha', que na verdade é azul, com as auroras boreais que ocorrem, geralmente, entre setembro e março no hemisfério norte do planeta. A diferença, porém, é que já existe tecnologia que ajuda os 'caçadores de aurora' a encontrarem o fenômeno. No caso do fenômeno marítimo, porém, é preciso um pouco mais de sorte, já que a situação costuma ser imprevisível.

 

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.