Alexandre Lopes

É Editor-Chefe de Web no Grupo Tribuna e responsável pelo G1 no litoral de São Paulo. No grupo desde 2008, já participou de coberturas em mais de 15 países. Atualmente, além de coordenar os portais, também apresenta o G1 em 1 Minuto.

Acesse todos os textos anteriores deste colunista

Família perde casa, carro e fica sem ter onde morar após sofrer golpe em Itanhaém

Rivalia e Enivaldo estão fazendo uma 'vaquinha virtual' para tentar recomeçar a vida. Saiba como ajudar!

Uma família do interior de São Paulo perdeu a casa própria, o carro e todas as economias de uma vida em um piscar de olhos. Tudo isso por conta de um sonho, de morar em Itanhaém, no litoral de São Paulo, que acabou se tornando um enorme pesadelo.

A vendedora Rivalia Soares, de 53 anos, e o marido, o comerciante Enivaldo Braz, de 50, moravam em Iperó (SP) e decidiram vender tudo para realizar o sonho de morar perto da praia. O problema é que, assim como outras dezenas de pessoas, foram vítimas de um golpe cruel.

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

O casal vendeu tudo com o intuito de comprar o terreno que, inicialmente, custaria R$ 90 mil. Além de morarem no local, eles abririam um comércio para servir como forma de sustento. A casa 'comprada' foi negociada no bairro do Cibratel.

Conversas mostram golpe sofrido por casal do interior de São Paulo (Arquivo Pessoal)

Durante as negociações com a suposta corretora, os valores foram caindo, até que o casal conseguiu um 'mega-desconto' e fechou o negócio por R$ 55 mil, que deveria ser pago por transferência bancária. O casal chegou a visitar o imóvel e não desconfiou de quase nada.

Durante a visita, a corretora e seu suposto chefe apresentaram todos os detalhes da residência. O casal chegou a notar que a porta externa estava arrombada, mas foi explicado de que o local havia sido alugado para uma festa de jovens que haviam danificado o portão.

Após registrarem os documentos no Cartório da Lapa, em São Paulo, com a alegação de que os donos não conseguiriam vir até a Baixada Santista, o casal colocou tudo o que sobrou em um caminhão e resolveu se mudar. As chaves, porém, não abriam as fechaduras.

Por conta do problema, eles acionaram um chaveiro para abrir as portas. Quando conseguiram entrar e descarregaram os últimos móveis, a Polícia Militar chegou para atender a um chamado de invasão de propriedade. O proprietário verdadeiro deu o prazo de algumas horas para que eles saíssem do local.

O caso foi registrado no 2º DP de Itanhaém. Lá, eles descobriram que o imóvel realmente estava à venda, mas por R$ 160 mil. Após passarem três dias sem ter onde ficar, eles conseguiram abrigo na casa de um conhecido em Osasco (SP), onde estão há quase dois meses.

Para tentar melhorar a situação, a família criou uma vaquinha online. Qualquer pessoa pode ajudar doando qualquer quantia. Com isso, os familiares poderão ter a oportunidade de recomeçar a vida. Da meta de R$ 62 mil, porém, eles arrecadaram por volta de R$ 6 mil até a manhã desta segunda-feira (28). Até agora ninguém foi preso.

Tudo sobre:
 
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna.
As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.