Moradores de Mongaguá são obrigados a se adaptar a falta de postes de luz e sistema de esgoto

Residentes do bairro Itaóca iluminam a rua com o farol dos carros e poste improvisado durante à noite

A falta de iluminação e esgoto no final da Rua Fernandes Onofre Trizzini, localizada no bairro Itaóca, em Mongaguá, obrigou os moradores a adaptar a rotina de diferentes formas para realizar tarefas básicas e também para prestar ajuda aos vizinhos, se necessário, já que muitos deles são idosos e possuem comorbidades.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

Essa sugestão de reportagem foi feita pelo internauta Paulo Souza. Você também pode entrar em contato conosco via WhatsApp, pelo número (13) 9 9642 8222, ou pelo E-Mail, g1at@grupo-tribuna.com. Ao mandar sua mensagem, deixe seus dados completos, relate o problema ou a sugestão de pauta e anexe fotos e vídeos

Paulo da Costa Souza conta que os problemas concentram-se no final da rua, e que a solução para os dois problemas já foi solicitada para as companhias competentes. O autônomo diz ainda que, para tentar resolver a questão da luz, os moradores improvisaram uma espécie de poste, e também costumam iluminar a região com o farol dos carros.  

Souza explica que muitos vizinhos são idosos e apresentam comorbidades, então os moradores temem que a falta de energia atrapalhe o resgate, caso necessário. Dentre os vizinhos está Silvana Aparecida de Jesus, que está em tratamento contra o câncer. Ela conta que adaptou uma iluminação para a parte externa da casa, mas, mesmo assim, não é suficiente. "Eu tenho uma luz do lado de fora, mas não adianta nada, e não posso deixar ligada a noite toda, se não sai muito cara a energia", conta.

Segundo a Elektro, empresa responsável pelo fornecimento de energia na cidade, a prefeitura é a responsável por prever a necessidade da instalação de novos pontos de iluminação pública. 

Já a Prefeitura de Mongaguá informou, por intermédio da Diretoria de Obras Públicas, que avaliará as necessidades do local para tomar as providências cabíveis. 

Em relação à rede de esgoto, apesar do que os munícipes disseram, a Sabesp informou que os imóveis ao longo da Rua Fernandes Onofre Trizzini são atendidos pelo sistema de coleta para tratamento dos esgotos e que não há registro de solicitação de extensão das redes coletoras ao local mencionado. 

Em atenção ao solicitado, a Empresa irá vistoriar esta área onde houve o crescimento das moradias para realizar estudo de viabilidade técnica e verificar o atendimento à demanda. Lembrando que a Sabesp se mantém à disposição da população durante 24 horas, pela Central de Atendimento Telefônico que funciona gratuitamente, nos números 0800 0550195 ou 195. Além da Agência Virtual no site (clique aqui) ou no aplicativo para celulares e tablets iOS ou Android, que permite enviar fotos.

Tudo sobre: