Atraso de navios com café no Porto chega a 80% em abril

Problema atingiu 95 porta-contêineres no mês passado em Santos

Por: ATribuna.com.br  -  14/05/24  -  17:33
Porto de Santos respondeu por 70% das exportações de café no acumulado deste ano, informa o Cecafé
Porto de Santos respondeu por 70% das exportações de café no acumulado deste ano, informa o Cecafé   Foto: Matheus Tagé/ AT

No mês passado, 95 navios para exportação de café, ou 80% do total, registraram atrasos ou alteração de escalas no Porto de Santos, principal escoador do produto no Brasil. O maior prazo apurado foi de 30 dias. Os dados constam no mais recente Boletim Detention Zero (DTZ), elaborado pela ElloX Digital em parceria com o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), divulgado na última sexta-feira.


Outros portos
Nos demais portos brasileiros que remetem café ao exterior, o cenário também é preocupante. De acordo com o Boletim DTZ, o índice de atrasos de navios para exportação do produto no complexo portuário do Rio de Janeiro (RJ), responsável por 27% dos embarques no acumulado de 2024, foi de 70%; em Paranaguá (PR), de 42%; em Salvador (BA), de 29%; e em Vitória (ES), de 16%. No compilado geral, 210 navios para exportação de café, ou 54% de um total de 391 porta-contêineres, tiveram atrasos em abril.


“Desse número de embarcações com escalas alteradas, 95 foram somente em Santos, que responde por 70% das exportações de café no acumulado deste ano. Ou seja, os exportadores brasileiros seguem enfrentando intensos desafios logísticos, com o alto índice de atrasos de navios e a falta de espaços no porto santista, que incorrem em ineficiências, destacando-se como os principais entraves na adição de elevados custos, não planejados, aos atores do segmento”, comenta Eduardo Heron, diretor técnico do Cecafé.


Outro dado crítico apontado pelo boletim é a continuidade do curto período de abertura de gates no Porto de Santos, que é o tempo que o exportador dispõe para entregar seus carregamentos, originados no interior do País, em cumprimento ao deadline (tempo máximo da operação) de carga estabelecido pelos terminais nos portos.


No mês passado, apenas 11% dos procedimentos de embarque tiveram prazo superior a quatro dias de gate aberto por navios no Porto de Santos, o menor índice registrado desde o início do levantamento, em janeiro de 2023. Outros 63, entre três e quatro dias e 26% tiveram menos de dois dias.


“Além disso, no mês passado, 42 navios não tiveram sequer uma abertura de gate no terminal santista, o que é extremamente preocupante, uma vez que isso gera, automaticamente, custos adicionais elevados e inesperados aos exportadores, que já vivem um cenário oneroso, com os gargalos logísticos, para honrar seus compromissos junto aos importadores dos cafés do Brasil”, lamenta Heron.


TecnologiaO Cecafé fechou parceria com a ElloX Digital, uma startup de tecnologia no segmento logístico, para possibilitar que seus associados obtenham evidências, como informações e prints dos sites dos terminais portuários, colhidas de forma automática, quatro vezes ao dia, através de web crawler (robôs), sem a necessidade de alocar um profissional especificamente para essa atividade.


A parceria tem o objetivo de facilitar a obtenção de provas e evidenciar as causas sobre as cobranças de armazenagem adicional e detentions aos exportadores de café, provocadas pelo adiamento dos embarques ou pelos atrasos de navios por parte dos transportadores marítimos, e utilizá-las para denúncias na Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq).


“A Antaq carece de dados e provas substanciais a respeito das causas das cobranças adicionais e inesperadas para aprimorar a sua norma. Sem a apresentação de comprovações consistentes, a Agência fica limitada para aprimorar seus normativos e os usuários continuarão pagando elevadas cobranças de armazenagem adicional e detentions”, revela Eduardo Heron, diretor técnico do Cecafé.


Segundo ele, o Boletim DTZ se torna fundamental e eficaz, aos exportadores de café que aderirem à iniciativa, para que se possa atestar a importância do aprimoramento da regulação à Antaq.


“Notamos uma receptividade positiva da Agência sobre o tema e temos mantido uma agenda positiva com a estatal, com o intuito de aprimorar as normas e coibir abusos, por meio da apresentação dessas provas demandadas por ela, as quais obtemos através da parceria com a ElloX”, conclui o diretor técnico do Cecafé.


Os exportadores de café interessados em acessar o Boletim Detention Zero podem se inscrever através deste link.


Logo A Tribuna
Newsletter