EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

26 de Fevereiro de 2020

Trabalhadores portuários e aposentados decidem futuro do Portus

Participantes do fundo de pensão se reunirão, nesta sexta-feira, às 9h30, no Sindaport

Participantes do Instituto de Seguridade Social Portus, o fundo de pensão dos trabalhadores portuários, se reunirão nesta sexta-feira, às 9h30, na sede do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport). Na pauta da assembleia, está a aprovação de um plano para sanear as contas da entidade.

O deficit do fundo chega a R$ 3,42 bilhões. Do total, R$ 1,7 bilhão serão aportados pelas patrocinadoras. Já os participantes de todo o país deverão arcar com R$ 1,6 bilhão. 

É previsto um aporte no valor de R$ 730 milhões do Governo Federal. A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a autoridade portuária de Santos, será responsável por arcar com R$ 371,9 milhões.

O plano para salvar o fundo de pensão prevê um aumento de 14,23% sobre as contribuições atuais de aposentados e o reajuste de 4,79% para o pessoal da ativa. A ideia é garantir o equacionamento da dívida em 15 anos, período em que os benefícios deverão ficar congelados. 

O fim do pagamento de pensão à novas viúvas, que chegou a ser cogitado, não virou realidade. Isso porque sindicatos de portuários de todo o Brasil foram contrários à proposta.

O Sindaport fica na Rua Júlio Conceição, 91, na Vila Mathias, em Santos. 

Tudo sobre: