EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

26 de Março de 2019

Terminal Ecoporto Santos retoma operações regulares

Instalação, que não recebia navios periódicos desde 2015, fechou contrato com a armadora italiana Grimaldi

O terminal Ecoporto Santos, localizado no Cais do Valongo, no Porto de Santos, retomou suas operações regulares no início desta semana. A empresa, do Grupo Ecorodovias (que também explora o Sistema Anchieta-Imigrantes), fechou um contrato com a armadora italiana Grimaldi para receber navios de uma de suas linhas de navegação, com escalas semanais. A instalação marítima não realizava operações periódicas desde 2015. 

A primeira operação, que foi uma espécie de teste, ocorreu na última segunda-feira (11), com o carregamento do navio Grande Nigéria. Na ocasião, foram embarcadas 5 mil toneladas de carga geral e 600 veículos, além da movimentação de 250 contêineres. A próxima escala está prevista para terça-feira da semana que vem e a tendência é que as operações sejam ampliadas. 

Do cais santista, a embarcação partiu para portos do América do Sul, África e norte da Europa. Este trajeto será feito semanalmente. A expectativa é de que até seis navios sejam operados a cada mês nesta linha. 

“Com a vinda da Grimaldi, o terminal começa a ter uma liderança importante como um terminal multipropósito. Um terminal que, além do contêiner, movimenta cargas de natureza complexa como veículos, cargas de natureza rolante, carga geral. E isso vem com o otimismo da economia”, destacou o diretor comercial do Ecoporto, Luiz Araújo. 

Segundo o executivo, no período em que as atividades do terminal foram reduzidas, a instalação portuária focou na movimentação de cargas de projeto e na armazenagem de mercadorias, além de operações com cargas fracionadas. 

Também houve uma reestruturação interna, com mudanças de procedimentos. “Demos enfoque à redução de custos e readequação de equipes por conta da queda absurda de volumes. Isso nos permitiu ser mais competitivos para conquistar um novo serviço”, disse Araújo. 

Agora, para o atendimento da nova demanda, houve contratação de mão de obra, principalmente em postos de liderança no terminal. E, com isso, houve ajustes nos procedimentos adotados pela equipe, para garantir maiores segurança e eficiência às operações. 

“A configuração do terminal é específica para atender ao volume de veículos. Os equipamentos, portêineres e guindastes móveis, podem movimentar tanto carga conteinerizada como a carga geral, e o pátio nos permite uma armazenagem mais adequada dos veículos”, destacou o executivo. 

Negociações

De acordo com Araújo, no passado, a Grimaldi já havia operado no Ecoporto Santos. Por conta disso, as negociações para o fechamento do contrato desta nova linha de navegação foram mais ágeis. 

“Eles tinha uma referência histórica com o terminal. Já existia a confiança e importante foi o terminal se adequar a um processo de parceria com o armador, construindo algo em que ele se adapte às novas circunstâncias da área do Saboó”, afirmou o diretor Comercial do Ecoporto Santos.