Santos Brasil demite 120 motoristas e anuncia que serviço será terceirizado

Operadora que administra o Terminal de Contêineres do Porto de Santos demitiu funcionários na segunda-feira. Caso foi levado para o Ministério Público e pela sindicado da categoria

A Santos Brasil, operadora logística que administra o Terminal de Contêineres do Porto de Santos (Tecon Santos) demitiu todos os seus 120 motoristas na última segunda-feira (4). Agora, a empresa pretende terceirizar o serviço. O caso foi levado ao Ministério Público do Trabalho (MPT) pelo sindicato que representa a categoria.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

De acordo com a Santos Brasil, o processo de terceirização da atividade faz parte de uma estratégia da empresa. O terminal destaca, ainda, que o corte nada tem a ver com a falta de demanda citada como justificativa para a dilação do prazo para a realização de investimentos no Porto de Santos.

Conforme publicado por A Tribuna, a empresa adiou de 31 de dezembro de 2020 para 31 de dezembrode2031 a conclusão de seu cronograma de investimentos previstos no cais santista. Segundo a operadora do Tecon, a estimativa é investir, até o próximo ano, ao menos R$ 360 milhões – R$ 313 milhões já foram executados.

Os motoristas que atuavam na Santos Brasil foram surpreendidos pela notícia da demissão em massa na manhã do primeiro dia útil do ano. Logo às 8 horas, eles foram informados sobre a extinção do cargo.

“A Santos Brasil deu um golpe nos trabalhadores e em si própria”, diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região, Valdir de Souza Pestana. “Ao terceirizar a mão de obra, reconhece sua incapacidade de gerir transporte”.

Além do terminal localizado em Vicente de Carvalho, em Guarujá, a Santos Brasil tem uma unidade no bairro Alemoa, em Santos. Os motoristas demitidos atuavam entre as unidades, assim como em instalações portuárias e os depots, que são especializados em contêineres vazios.

Os profissionais desligados do Tecon também faziam a coleta e a entrega de carga para os clientes. Agora, todos esses procedimentos serão realizados por empresas terceirizadas. 

Terminal

Em nota, a Santos Brasil informou que “todos os profissionais desligados receberam um pacote de saída diferenciado. Além disso, a companhia contratou uma empresa de recolocação profissional que mapeou vagas no mercado para apoiar esses profissionais a serem recolocados o mais rapidamente possível”.

A Tribuna apurou que parte dos trabalhadores resolveu aderir ao processo de recolocação. E alguns estão em processo de indicação. 

Tudo sobre: