EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

9 de Agosto de 2020

Representante de empresas da Alemoa lista gargalos no Porto de Santos

Região ainda enfrenta problemas de drenagem, pavimentação e a falta de uma saída de emergência

Os semáforos inteligentes serão capazes de dar mais fluidez ao trânsito. Mas, além dos gargalos causados pelo excesso de veículos no bairro da Alemoa, no Porto de Santos, a região enfrenta ainda problemas de drenagem, pavimentação e a falta de uma saída de emergência. 

A constatação é do presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial e Portuário da Alemoa (AMA), João Maria Menano. Segundo o executivo, pleitos antigos, como a construção de um novo acesso ao Porto de Santos, nunca saíram do papel. 

“A AMA já fez doação de placas de sinalização e drones. Essa mudança nos semáforos vai ajudar muito, mas, na verdade, precisava haver mais acessos. Uma saída de emergência para ser aberta em caso de necessidade”, afirma Menano. 

Para o presidente da AMA, a ideia é a criação de um acesso adicional para garantir segurança, como a entrada de ambulâncias e caminhões do Corpo de Bombeiros, em casos de acidente na área. 

Segundo o executivo, diversas empresas da região já fizeram doações desse tipo. Entre elas estão a Vopak, a Granel Química e a Stolthaven. No entanto, os investimentos públicos na região são muito menores do que o total repassado pelos terminais, o que impossibilita novos avanços. “As empresas continuam se modernizando e enobrecendo o espaço. Isso vale para os terminais de líquidos, Depots (Terminais de Contêineres Vazios), Redex (Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação) e transportadoras. Mas são necessários investimentos no entorno”, destaca Menano.

 

Tudo sobre: