Porto de Santos movimenta 134,6 milhões de toneladas entre janeiro e novembro

Apenas no mês passado, 12 milhões de toneladas foram operadas, volume 9,5% maior do que no mesmo mês de 2019

Um total de 134,6 milhões de toneladas foram movimentadas no Porto de Santos entre janeiro e novembro. O volume é 8,7% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando 123,7 milhões de toneladas entraram ou saíram do País pelo cais santista. Apenas no mês passado, 12 milhões de toneladas foram operadas, volume 9,5% maior do que em novembro de 2019. 

Os dados fazem parte do levantamento mensal da Autoridade Portuária de Santos, novo nome da Companhia Docas do Estado de São Paulo, a Codesp. O recorde já havia sido antecipado pelo diretor-presidente da estatal, Fernando Biral, no início do mês no Porto & Mar 2020 - Seminário A Tribuna para o Desenvolvimento do Porto de Santos.

Na ocasião, o executivo estimou a movimentação de cerca de 400 mil TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés). Após a consolidação dos dados, a Autoridade Portuária apontou a operação de 395.508 TEU. O crescimento foi de 10,6% no mês. 

Em novembro, importações e exportações cresceram, respectivamente, 9,8% e 9,3%. Os desembarques somaram 3,6 milhões de toneladas e os embarques totalizaram 8,3 milhões de toneladas. 

“O Porto de Santos registra novo recorde e o mês de novembro evidenciou a recuperação na movimentação de contêineres, que foi o setor mais atingido pela pandemia. Até o final do ano, esperamos um pequeno crescimento de contêineres em 2020 frente a 2019”, destacou Biral.

Para o professor universitário Hélio Hallite, que é especialista em comércio exterior, neste ano, o agronegócio brasileiro supriu o aumento da demanda mundial. E o aumento da tonelagem mostra uma recuperação da economia, mesmo durante a pandemia de covid-19. 

“Carnes e café puxaram maiores movimentações de contêineres”, destacou o economista. 
Entre as cargas movimentadas, o crescimento mais expressivo em novembro foi do açúcar, que somou 2,1 milhões de toneladas, contra 1 milhão de toneladas movimentadas em novembro do ano passado. Neste caso, a alta foi de 106,2%. 

Acumulado

Além do recorde no total de cargas, os 11 primeiros meses do ano também bateram marcas históricas em diversas cargas. Os granéis sólidos tiveram alta de 14,9% na base anual, para 70,5 milhões de toneladas; os granéis líquidos também cresceram dois dígitos (10,7%), para 17,2 milhões de toneladas. 

No ano, o commodity acumula uma alta de 71,2%, somando 22,6 milhões de toneladas. A mesma tendência de alta tem o complexo soja, que inclui a carga em grãos e em farelo. Nos 11 primeiros meses do ano, foram 27,6 milhões de toneladas operadas, crescimento de 14,6% em relação à marca obtida em 2019.

Por outro lado, as exportações de milho tiveram queda de 18% no acumulado. Enquanto no ano passado 15,3 milhões de toneladas foram movimentadas entre janeiro e novembro, no mesmo período de 2020, as operações somaram 12,6 milhões de toneladas. 

Apesar do crescimento no mês, as operações com contêineres ainda seguem em uma ligeira baixa no ano. Entre janeiro e novembro, 3,7 milhões de TEU passaram pelo cais santista, 0,3% a menos do que no mesmo período de 2019. 

De acordo com a Autoridade Portuária, na corrente de comércio exterior, houve estabilidade na participação do Porto de Santos, que respondeu por 28,4% do total do Brasil. O número de atracações no ano já chega a quase 4.500 navios, um ligeiro aumento de 1,4% em relação ao mesmo período de 2019.

Tudo sobre: